Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto




Existo como janela
 
 
Existo para limpar as lágrimas do tempo
Que feriu a tristeza do meu olhar
E golfava com rebeldia o diário oculto
Quase inocente para não saber da dor
 
Existo para apagar o tempo passado
Que no abismo da alma deformava o sonho
Meio trançado para cobrir o mundo lá fora
E proteger a voz dos homens cansados
 
Existo como janela para contemplação
No passado das minhas emoções sujas
Que perpassei em tempo a vibrar distante
Na tempestade clara pela alma da tarde
 
Existo para fugir da podridão que falece
De mãos atadas com a cegueira do mundo
Que vai para guiar o instinto em gestação
Pela luz que se dilata no prazer da noite
 
Existo antes de tudo no vazio de mim
Formando estrias profundas no tempo
Que submerge ereto na essência purificada
Da noite santa no reflexo sonoro das luzes




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 25/01/2016
Reeditado em 26/01/2016
Código do texto: T5522758
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gernaide Cezar
Salvador - Bahia - Brasil
344 textos (20932 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/05/21 22:00)
Gernaide Cezar

Site do Escritor