Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Falando com as paredes
 
Fala-se com as paredes na ausência
Da alma da voz ou do tato
No sentir dos gestos e dores
O sigilo poupa o desencanto

E a tristeza ecoa entre as paredes
Paredes frias que não respondem
É ouvinte passiva da dor alheia
Que pulsa nos olhos armados

De uma angústia pálida
Que canta um refrão desafinado
É um monólogo feito na teia
Que cai no seio íntimo da noite

E desperta na fragrância matinal
Dentro do orvalho da água lisa
E vasa no resto da prece que pulsa
A lua passa e brilha sobre o mar

Mostra-se solene íntima e confusa
É a parede da alma que responde
Ao canto desfigurado dos olhos suados
Na condição passiva dos atos
 
O óbvio traça a resposta e guarda
Segredos calados íntimos e sofridos
É o alicerce traçado no sigilo da alma
Nas mãos de uma parede fictícia

O mundo parece arqueado
Num horizonte manchado de luz
E propaga o arquivo de tantas ilusões
Que sustenta alimenta e dá vida ao poeta



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Gernaide Cezar
Enviado por Gernaide Cezar em 06/01/2016
Reeditado em 31/12/2017
Código do texto: T5502338
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gernaide Cezar
Salvador - Bahia - Brasil
340 textos (20718 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 11:29)
Gernaide Cezar

Site do Escritor