Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Maria Maluca

Maria maluca
Maria da Graça Almeida

Maria maluca,
por que não me escuta?
Seu ralo cabelo
perdeu-se no espelho,
espelho que exibe
seus olhos vermelhos.

Os dedos em riste
são trilhas tão tristes...
Maria maluca,
arranha e cutuca,
Maria maluca,
sua unha machuca!

Não fuja da luta,
salte do leito,
ainda que cedo,
com fé e efeito,
a vida põe medo
e não faz segredos.
A morte é injusta
 e tira o sossego.

Maria maluca,
cuidado, mulher,
mingau não é fruta,
use a colher!
Sua vista está curta,
a cabeça espana,
de farda ou à paisana,
a lida é insana!
Largue agora
o copo de cana,
dê-lhe uma folga,
volte pra cama!

Maria maluca,
seus  velhos ouvidos
fecharam-se à escuta
perderam o juízo...
com a força bruta.
Mas isso agora,
tampouco importa...
De dentro pra fora,
Maria, está morta!
maria da graça almeida
Enviado por maria da graça almeida em 20/08/2012
Reeditado em 28/08/2013
Código do texto: T3839470
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
maria da graça almeida
São Paulo - São Paulo - Brasil
249 textos (17531 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/11/19 18:54)
maria da graça almeida