Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Divagação

Divagação
maria da graça almeida

Valoriza-se o pão
quando falta a refeição.
A bênção solta no ar
não dissolve  as culpas do homem.
Não há pombo, passarinho,
nem grãos em minhas mãos.
Nem sequer há sonhos vãos,
que sosseguem os que não dormem.
Sob o sol que cedo reluz,
há jovens pregados na cruz.

O luar que me absorve,
aprisiona-me o  olhar.
A fornalha que me envolve,
não me deixa descansar.
Da escada, o desvão
sobe na contramão.
Dilato a escuridão,
quando tarde acendo a luz.
Ao sono que  nos conduz,
nem sempre fazemos jus.

maria da graça almeida
Enviado por maria da graça almeida em 28/05/2012
Código do texto: T3692029
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
maria da graça almeida
São Paulo - São Paulo - Brasil
249 textos (18593 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/08/20 02:33)
maria da graça almeida