Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Abstrato quê

Abstrato quê

Maria da Graça Almeida


Em meus ouvidos moram gemidos, que soturnos retraem-se;
no coração trago mitos que um dia enalteci,
em minha boca tenho gritos, que emudecidos esvaem-se;

Através de certas feridas, tardiamente, entendi
que as cores da VIDA, da AURA e da ALMA
dependem das dores que cada um traz dentro de si.

É impossível interagir com enigmáticas damas,
que têm, justa, a fama de levarem no trato
um quê do triunvirato mais abstrato que já conheci.

maria da graça almeida
Enviado por maria da graça almeida em 13/03/2009
Código do texto: T1483767
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
maria da graça almeida
São Paulo - São Paulo - Brasil
249 textos (17668 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/19 14:49)
maria da graça almeida