Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Chegar ao fim...

Chegar ao fim, como eu estou chegando!
Sem nada a envergonhar-me ou a temer,
De fronte erguida para o alto olhando,
Por ter cumprido, à risca, o meu dever.

Chegar ao fim, como eu estou chegando!
Sem ambições, invejas ou rancor,
Com o pouco que tenho me fartando
E tendo n’alma um forte e grande amor!

Estranho é, pois, num mundo singular,
Feito de ódios, fome e podridão
Que alguém se erga pra de amor falar!
Quando matar é o lema, é o refrão!

De amor falar!... Amor grande demais
Para entendido ser num mundo louco,
Que, apenas, soma; dividir, jamais,
Que muito quer, sem contentar com pouco.

Despreocupado amor, simples, maduro,
Alheio a convenções e preconceitos,
A exibições hipócritas... Seguro
E firme amor, de mil amores feito.

Amor que se espalhou e que se deu,
Que é riso e é pranto e é emoção também,
Que do humano calor sempre viveu,
Sem odiar ou desprezar ninguém.

Altivo é esse amor. Quando ofendido
Ou quando sofre humilhações soezes,
Quando ferido é e incompreendido,
Revida, fere, agride e foge, às vezes,

Para buscar o olor dos verdes campos!
As distâncias, sem fim , dos horizontes!
O ziguezaguear dos pirilampos,
Quando a tarde descamba Trás-os-Montes!

Oh! horizontes azuis! Serras e montes!
Oh! ribeirões! Oh! rios e campinas!
Matas e bosques! Planícies e fontes!
Estrelas, céus, luares e colinas!

Às vezes penso que melhor seria
Jamais os ter amado tanto assim!
Talvez o mundo me compreenderia
E a dor jamais se instalaria em mim

Não pode o amor que sobrevoa cimos
Mares e lagos, campos e cerrados,
Se agrilhoar a rudes possessismos,
Nem a caprichos ser subjugado.

Então, pergunto eu: Como calar?
Ou como sufocar esse bramido?
Sem esmagar meu ser? Me apequenar?
Sem me tornar hipócrita, fingido?



Janeiro de 1961.
Antonio Lycério Pompeo de Barros
Enviado por Antonio Lycério Pompeo de Barros em 23/12/2008
Reeditado em 07/04/2009
Código do texto: T1349438
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Antonio Lycério Pompeo de Barros
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 98 anos
177 textos (6717 leituras)
22 áudios (289 audições)
32 e-livros (1568 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/09/20 16:49)
Antonio Lycério Pompeo de Barros