Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pólvora...

A chuva caia
lá fora.
E eu liguei o ventilador.
Queria morrer
de frio,
ou espantar aquele cheiro
de cigarro.
O cinzeiro
já estuporado,
filtro amarelo
e filtro branco.
Despejei na lata de lixo
tenazmente.
Contando os fragmentos
do fim de semana.

E a chuva
que não parava.
O ápice de gotas densas
a despencar sobre nós.
A lavar a rua do lavradio
e a encornar cada frase
do Profeta gentileza,
sutilmente estigmatizadas,
na minha cabeça.

E a poesia companheira
ia surgindo.
Da solidão talvez,
ou da falta de poder ser alguém
em meio a tanta água.
A poesia ruborizando
as entranhas,
desse dia azul.
Tingindo cada homem
de pequenos
pedaços de cinza surreal.
Afunilando nossas dobras
de acasos e contratempos.
Remontando os encontros
do casal de namorados.
E o transitar permanente
em buscar sempre
a fé, alheia dos olhares
compenetrados na chuva.
Provando que existe
e não tem explicação.
N Lago
Enviado por N Lago em 02/11/2008
Código do texto: T1260903

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
N Lago
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 31 anos
5 textos (58 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/02/20 20:04)
N Lago