Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Caminho com as formigas

Caminho com as formigas,
arrepare não,
se tu, desgarrado da delicadeza,
senta a peroba no chão.
MADEEEEEEEEIRA.

O bicho é o grão da rosa
(a colmeia noiteia, o beija-flor acorda),
do morro
à caatinga,
na cruviana
e na prosa
(mas a Guimarães,
um Jalapão de soja).

Do bangalô,
o aboiar da lua
cinza o veneno do campo,
que deixa tudo mais bonito à mesa;
e um desalento, entanto.

E o dito cujo, ali de cima,
o da peroba no chão,
acha pinguela pequena,
não comia a plantação.

Versejo como quem molha a moringa no medo.

E o caboclo ribeiro?
vai te guardar o mundo quando o pau quebrar?
Ou vai partir?

Do mato vazio,
que atravessa o poema no meio,
vai te guardar o mundo quando o pau quebrar?
Bruno Muniz
Enviado por Bruno Muniz em 08/08/2019
Código do texto: T6715398
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bruno Muniz
Goiânia - Goiás - Brasil
283 textos (11308 leituras)
1 e-livros (96 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/19 03:58)
Bruno Muniz