Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Esse poema é pra tu

Dona Maria aceite esta fulô
que eu prantei no quintá
lá do sítio do meu avô
que ele deu pra eu cuidá
Se vosmecê num quiser
trago-lhe outra quarquer
pra mode nós se casar.

Quero dizer-lhe umas coisa
e que preste bem atenção,
eu num tem fala formosa
nem tambem educação.
Eu sou um matuto tapado
inté mei abestaiado
segundo diz meus irmão,

mas desd'o dia a senhora
passou por essas bandas
que eu num paro uma hora,
a cabeça inté desanda,
de pensar na beleza sua
que tal qual brinho da lua
nossas vista alevanta.

mas né só isso não, eu juro,
eu gosto é do seu jeitin
que é manso, meigo e puro,
por isso é que eu tou aqui
pra mode pedir a sua mão
e me livrar da solidão
ter você pertin de mim.

Se vosmecê me aceitar
nós iremos se casar
na Capela da Constança

e enquanto vida eu tiver
você vai ser minha mulher,
e dona de minha esperança.
Tiago da Silva
Enviado por Tiago da Silva em 15/03/2011
Código do texto: T2850022
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tiago da Silva
Afogados da Ingazeira - Pernambuco - Brasil, 29 anos
457 textos (11549 leituras)
3 áudios (299 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/19 13:45)
Tiago da Silva