Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MAMÃE EU QUERIA (E VOU) (SERVIR O EXÉRCITO)

Ó, que m’importa! Um homem tem de morrer, e só se morre uma vez, nem mais, nem menos.
Sim, morre-se uma vez! Não há escapatória!
Devemos esta morte a Deus Todo-Poderoso, com certeza. Nunca me esquecerei disso.
Se for coisa do destino, decreto dos céus, que seja!
Se não for, ora, que não seja! Não terá sido dessa vez. Ninguém é bom demais para ser
súdito do Rei! Digo, bom demais
para não ser súdito do Rei, se é que m’entendem! Ninguém é grande pra não ser pequeno.
Pelo menos eu acho. Enfim, só penso:
quem morre esse ano não morre no próximo, já está zerado e saldado! É o qu’eu sempre digo:
Antes cedo do que cinco!
Rafael Cila Aguiar
Enviado por Rafael Cila Aguiar em 18/07/2019
Código do texto: T6699089
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rafael Cila Aguiar
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 31 anos
389 textos (3717 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/19 04:16)
Rafael Cila Aguiar