Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Alma minha

Qual revolto mar, singrar alma minha
Por mais gentil que seja a de outro Ser
De lusitana terra reviver
O cantar de um amor... partiste! Triste!

Ora também direis... ouvir estrelas
Onde ruflar de asas compreender
Todo enigma sem o senso perder
O vil corporal em vis corruptelas

Navegar é preciso, não o viver
As agruras de uma prisão incapaz
De jornada nossos sonhos reter

Nobre viajante, deixar o Norte
Deixar Camões, Bilac, Pessoa... em paz
Além, nossos leitos rumar... à Morte?

Que venha... Vida minha... Alma minha.
Lume de Antão
Enviado por Lume de Antão em 26/12/2018
Código do texto: T6535758
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lume de Antão
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 51 anos
90 textos (1850 leituras)
1 e-livros (77 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/19 03:48)
Lume de Antão