Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOMBRA.

A sombra esguia, que lentamente no calabouço se movia,
Na escuridão profunda do antigo túnel de tijolos,
Na água suja que escorria, pequenos aracnídeos no pescoço,
De repente, a sombra parou, cheio de medo estático fiquei,
O único som presente era da água gotejando ligeira,
Parei.
Tênue visão, ela parou,
Na minha alma o medo serpenteia,
A sombra agigantou-se em um instante, medo,
Seria um demônio, bicho, mera criação da mente,
Funesta sombra que pela escuridão vagueia,
Andei.
Pequenos passos ao acaso, incerteza, horror,
A sombra esguia escondeu-de no calabouço,
Foi neste instante que escutei, terrível grunhido,
Inenarrável som que ecoou tão fantasmagórico,
Sombra.
Sim, o tão temível monstro que minutos antes pareceu,
Mostrou-se na frouxa luz após manso miado,
Cauda negra a balançar, suspirei aliviado,
Era um felino de olhos brilhantes,
No mesmo instante correu,
Uma sombra que no negrume do véu desapareceu.
Tiago Macedo Pena
Enviado por Tiago Macedo Pena em 22/07/2020
Reeditado em 22/07/2020
Código do texto: T7013854
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Tiago Macedo Pena
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 38 anos
623 textos (17287 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/20 13:51)
Tiago Macedo Pena