Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Normalidade

Sinceridade. Saudades. Metáforas densas. Sentimentos confusos. Pássaros que cantam alegres ao sabor da chuva. Fenda do tempo nos transporta para outra dimensão. A imensidão do universo serena serpente. Na lua se esconde o singular desejo.

Contido pelas veredas perdidas da imensidão. Contagem. Contato. Vulcão em fogos e armadilhas. Lamas, camadas inebriantes de descargas forjadas. Moradas antigas do interior. Casebres de taipa. Linguajar popular. Mandinga dos caiporas.

Sereias e curupiras. Folclores brasileiros. Seleiros e cerrados. A mata fechada revela segredos mil. Sons dos entediados. Coração dos enfeitiçados. Paralisados. Paratenados. Perfeita harmonia. Detesto dizer, mas a real saúde vem da natureza e que beleza. Que fantasia.

Os frios, os calores mil. A mentira que lhe contaram sobre o desmatamento. Esqueceram de dizer que pulsa vida na mata. Que a madeira tirada a força gera sofrimentos aos índios, aos macacos, as cobras, jacarés, toda fauna de bichos e seus habitats.

O pecado gigante do homem. O machado destruidor que decide, quem vive e quem morre. Vamos socorrer quem tem fome. E a minha fome? Quem vai me ajudar? Quem vai me ornamentar com cogumelos e águas bentas? Ou com cachimbos e pernas de pau?
Carlos Emanuel
Enviado por Carlos Emanuel em 04/05/2021
Reeditado em 04/05/2021
Código do texto: T7247790
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Carlos Emanuel
Fortaleza - Ceará - Brasil, 41 anos
246 textos (5603 leituras)
10 áudios (486 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/05/21 00:34)
Carlos Emanuel