Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOBREVIVO

Sobrevivo meus
Dias tentando
Te esquecer
E quanto mais
Tento, menos consigo

Vou enfrentando
Cada dia como
Uma nova batalha
Que sempre perco

No final de cada
Dia que sobrevivo
Chego à conclusão
De que esse
É um objetivo
Que não conseguirei
Alcançar

E nessa luta
Diária me sinto
Enfraquecida
Em minhas forças

Como se você
Não pudesse sair
De dentro de mim
Porque você
Está entranhado
Aqui dentro

Tento me convencer
De que não há
Outra solução
A não ser te
Esquecer
Mas ainda assim
Não me convenço

Sobrevivo cada
Momento da minha
Vida como se fosse
Um momento último
Porque é isso que eu
Gostaria que fosse
O meu último momento

Quem sabe assim
Eu te esqueceria
De vez
E em alguns
Desses momentos
Chego quase
À loucura
De pensar que
Se minha vida
Acabasse
Talvez assim
Eu te esqueceria

Todos os dias
Ao acordar
Peço ao Pai
Que me ajude
A te esquecer
Mas parece
Que Ele não me ouve

E como um capricho
Do destino
Me sinto presa
A você

A você que
Não posso ter
A esse amor
Que não pode
Ser meu

E sempre me
Faço as mesmas
Perguntas
Sem encontrar
As respostas

E o que me parece
É que não
Há respostas
Pra elas

Sinto meu peito
Pesar com essa
Saudade que
Me machuca
A alma já
Ferida pela
Tristeza de não
Ter-te comigo

E como um
Capricho do destino
Continuo te
Amando cada
Dia mais

Ao invés de diminuir
Esse amor
Só aumenta
Aumenta dentro
De mim
E vai ocupando
Um espaço
Ainda maior
Do que já ocupa

Meus dias
E minhas noites
Têm sido pra
Pensar em ti
Pra te amar
Cada vez mais

É uma força
Muito maior
Que eu
Uma força
Que não tenho
Como evitar

E por mais
Que eu peça a
Deus que te
Esqueça é
Em vão que peço

Faço milhões
De coisas ao mesmo
Tempo pra desviar
O meu pensamento
De ti
Mas ele acaba indo
Em tua direção

Como se quisesse
Me provar que
É impossível
Te esquecer

E dentre as perguntas
Que me faço
algumas delas
É “por que eu
Não consigo te esquecer?”

Porque em nenhum
Instante consigo
te esquecer
por que penso
em você o dia
inteiro e por que
te procuro enquanto
durmo?

Por que estou
Contigo sempre,
Sempre, sempre

Por que essa dor
Me invade de
Um jeito que
Eu não consigo
Evitar?

Por que te amo
Assim?
E por que
Me deixei levar
Por esse sentimento
Tão grande e
Tão maior que eu

E por que você
Fez de tudo
Pra me conquistar?
Então fumo
Um cigarro
E outro
E outro

E por mais
Que eu faça
Não consigo
Te esquecer
Porque o amor
Está em mim

Não em meu
Corpo frágil
E sim na minha
Alma de mulher

Uma mulher
Sozinha,
MUITO SOZINHA

Ninguém pode
Imaginar o que
Vai dentro do meu
Peito dolorido

Sou FERA FERIDA
Peixe sem água
Pássaro sem asas
Corpo sem espírito
Cristã com
A fé abalada
Casa sem estrutura

Sou lágrimas
Sou saudade
Sou tristeza
Sou desilusão
Sou lábios
Sem sorriso
Palavras
Sem sentido
Criatura sem rumo
Pés sem chão

Estou à beira
Do precipício
E meus passos
Estão cambaleantes

Não vejo uma
Luz no fim do túnel
Só vejo a escuridão
Total que me cega
E me faz chegar
Ao desespero total

E sobrevivo
SOBREVIVO
Apenas
SOBREVIVO
À minha própria
Dor que teimosa
Quer me levar
Com ela para
O lar dos derrotados
Pela vida

Mas ainda assim
SOBREVIVO
E sobrevivo,
Sobrevivo...

Zair Batalha
13/10/2007




ZAIR BATALHA FERNANDES
Enviado por ZAIR BATALHA FERNANDES em 15/03/2008
Código do texto: T902114
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ZAIR BATALHA FERNANDES
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 55 anos
43 textos (2869 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/19 17:47)
ZAIR BATALHA FERNANDES