Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Insônia


 
A noite cai como que corpo abatido.
As horas desfalecem, mas não morrem,
e os nervos desfiam-se como novelo de lã.
Enche-se de presságios, de sombras da alma.

Gélido suor invade o semblante lívido.
O coração descompassa em taquicardias.
Longe de ser serena, a calma é artificial.
Um caos total escondido sob o tapete.

Em meio à amplitude, totalmente acuado.
Um punhal que ameaça o pescoço.
Um sorriso sem graça que nada quer.
E tudo por um débil delírio, uma ilusão.

Anseios perdidos em sonhos desfeitos.
E toda perda quer fingir ser enorme ganho.
E a covardia se oculta em falsa valentia.
E a mediocridade faz-se de genial tolice.

E o sono passa despercebido.
Visita os olhos, mas não descansa o cérebro.
Bombardeia com escombros do cotidiano.
Como assaltante noturno rouba a alma.

Os músculos não relaxam,
o coração não se desafoga.
A garganta não se alivia,
a alma não vive.

Insólito, o medo é o visitante,
alma penada a assombrar,
desafiando a loucura pela lucidez,
fazendo-se surdo o que não quer ouvir.

Enchendo-se de pesado silêncio,
fingindo ser possível a ilusão de felicidade.
Não querendo perder tempo em ser triste,
fechando os olhos e finalmente dormindo.
Gilberto Brandão Marcon
Enviado por Gilberto Brandão Marcon em 13/10/2019
Código do texto: T6768112
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Gilberto Brandão Marcon
São João da Boa Vista - São Paulo - Brasil, 56 anos
1195 textos (94206 leituras)
248 áudios (17249 audições)
8 e-livros (1692 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/19 15:34)
Gilberto Brandão Marcon

Site do Escritor