Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solitária Manhã Fria

A tristeza vinha ao longe por cima
da linha do horizonte, com
as nuvens frias do inverno;
e como tal, recaia sobre mim.
A amanhã era mais uma
vez fria e meus ossos
se contorcia.
Rangia os ossos, solitariamente
sobre a cama, então cadê o sol?
Que a sim como você me faz tanta
falta querida.
Os olhos de felinos me fitavam,
enquanto com os ouvidos,
podia ouvir o som do ar descendo
pelos vales e chegando para mim.
O sol então nascia diante dos
meus olhos, como o calor do
corpo dela, que tanto me aquecia.
Era a calma que recaia sobre
minha alma naquele momento.
Mas ainda estara eu em uma
agonia angustiante, com a falta
dela. E pela à espera de poder
viver com o que fazia o meu
coração tanto pulsar.
Tiago Rocha
Enviado por Tiago Rocha em 15/05/2019
Reeditado em 15/05/2019
Código do texto: T6647947
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (você deve citar a autoria de Tiago Amaral https://tiagoamaral2013.blogspot.com/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tiago Rocha
Salvador - Bahia - Brasil, 34 anos
1480 textos (24477 leituras)
8 áudios (125 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/05/19 14:44)
Tiago Rocha