Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um pouco incoerente

Ontem
Eu lia livros
Hoje
Eu escrevo livros
É um pouco incoerente
Pois sempre fui um ser humano muito limitado
Vocês já ouviram falar que a mesma água que endurece o ovo, amolesse a batata
Que a gilete não corta uma árvore, assim como o machado não é apropriado para cortar cabelo
Na adolescência fui muito tímido, havia muitas barreiras
Hoje ainda há, até mesmo profissionais
Parece que estamos cercados
Mas a gente vai furando aos poucos
Já atravessei o muro dos loucos
E voltei
Ninguém escolhe nascer
Negro ou branco
Baixo ou alto
Gay ou hétero
Ninguém escolhe garimpar a ração no lixão
Além do corpo há alma
No absconso de cada ser há um pouco de mel e um pouco de fel
Cada ser pode ser um pedaço de Deus
Ninguém é melhor do que ninguém
Já pensaram que aqui pode ser o purgatório?
Se levarem para um laboratório um pedaço das tripas de um catador de lixo e de um lord, super milionário, talvez vão entender que aquilo é formado pela mesma matéria, suponho eu,
Falo sem conhecimento científico,
Se esquecerem lá por uns dias, vão apodrecer igualmente.
Poeta do Mirador
Enviado por Poeta do Mirador em 19/08/2019
Código do texto: T6723840
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeta do Mirador
Crateús - Ceará - Brasil, 50 anos
100 textos (5571 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/09/19 01:11)
Poeta do Mirador