Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Brasília

Brasília
maria da graça almeida

Cidade que lembra uma praia sem mar,
ou nave inerte, bem rente ao chão...
Pesada é a asa que faz por alar
o corpo insensato da corrupção.
Ao tentar a busca por certo alento,
que a alma saudável ou enferma, recruta,
mesmo envolvido ou com nada atento.
pressinto. até, plena em constrangimento,
passado o tempo de colher boa fruta.

Murmúrios, cochichos, sibilos, conchavos,
segredos, conluios e a aviltação,
ofuscam, seguros, a luz e o brilho
da crença que um dia amparou a nação.
Espero que ainda, das torpes doutrinas.
vejamos Brasília trocar as cortinas,
pois ora se sabe que a roxa ganância,
seja ela anciã ou ainda menina,
contrapõe-se ao tom do verde-esperança.

Ao nos relembrarmos da bela cidade,
reportamo-nos, todos, a todo o país
que agora revela ter a identidade
descritas por manchas de rubro matiz...
E a nave que só aprendeu a voar
nos doces delírios presidenciais
enleou-se em tramas de agudas barreiras
e mostra que até para os feitos cabais
a forte ambição delimita as fronteiras.
maria da graça almeida
Enviado por maria da graça almeida em 14/04/2013
Reeditado em 27/12/2015
Código do texto: T4241076
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
maria da graça almeida
São Paulo - São Paulo - Brasil
249 textos (18625 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/08/20 03:02)
maria da graça almeida