Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
A MORTE DE CRISTO
 
Deitado no madeiro em forma de cruz,
Está sendo pregado o inocente Jesus.
Sobe o martelo! O martelo, célere, desce.
Carnes são dilaceradas – a dor recrudesce!
 
Pai, ‘não afaste’ de mim o vinho do cálice.
Quero, e devo sentir o seu amaro sabor,
Minha morte terrena deverá ser o enlace
Da humanidade com Vós – Pai e Senhor!
 
Os pregos transpassam a carne ferida.
Os céus se escurecem – sentem vergonha!
É o martelo que martela com a fúria incontida
No coração do homem de enorme peçonha.
 
Jesus sente sede. – “Água – implora o Salvador!”
Servem-Lhe uma esponja em vinagre molhada;
Que não aplaca a sede do inocente sofredor.
-“Perdoa-lhes Pai... eles não sabem de nada!”
 
Na cabeça uma coroa de espinhos é colocada.
Pela testa ferida o Sagrado Sangue escorre.
A cruz – levando o Inocente mártir – é içada.
Jesus queda a cabeça... suspira... e morre!
                             
                               ********
 
                           
 
Altamiro Fernandes da Cruz
Enviado por Altamiro Fernandes da Cruz em 23/05/2020
Código do texto: T6955516
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Altamiro Fernandes da Cruz
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
56 textos (480 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/07/20 02:21)
Altamiro Fernandes da Cruz

Site do Escritor