Tempos vorazes

 

Ele é o dono dessa estrada infinita!

O tempo escorre pelas nossas mãos e passa tão ligeiro tal qual passa o sangue por nossas veias e neste instante  insanamente invade nosso cérebro e irriga tão fortemente, induzindo a propalar palavras jamais ditas em qualquer poema meu!

Quão longo é o tempo, quão longo os dias, se comparado ao curto sonho da vida!

Dias eternos! Noites eternas , que para eles nunca morrem!

O tempo é mesmo eterno!

Nós não.

Ele poderá ser usados para os que virão!

Para nós, que usamos esse tempo, carregamos ao longo dessa estrada estreita e curta da vida, sonhos não realizados, momentos não aproveitados, delírios até despojados.

Livres de qualquer outro pensamento mal engendrado.

Somos como pássaros de tenra idade, longe da primeira morada.

Porque fugir de uma realidade agora!

Se esta é a sina, então vamos viver este presente momento.

Talvez o tempo se encarregará de torná-lo  um instante passado numa fração de nanossegundos.

Ele passa, com certeza.

Passa para o pássaro, passa para o homem, pelo bebê, pelo jovem, pelo adulto, pelo velho e pela velha!

 

Só não passará para aquele que jazeu!

 

Oh! tempo! Por que existe?

 

Seria tão mais fácil se ele parasse! 

Mas, a gente não para!

Consequentemente ele também não para!

- O tempo não para, a gente não para.

Sigamos lutando contra o tempo, fazendo o que podemos fazer, pois, nesta curta estrada da vida e longa caminhada do tempo, ele se encarrega mais uma vez de nos conduzir.

Mesmo que vivamos  mil anos, estaremos sempre a fazer o mais do mesmo.

 

Já nascemos predestinados a sermos nós mesmos.

Nada e nem ninguém poderá mudar isto.

E mesmo alongando nossa vida para um trilhão de anos, seremos os mesmos.

Tudo já está escrito.

Quem nasceu para ser uma rocha, jamais se tornará areia!

E do revés, aquele que é areia, não será jamais uma rocha.

"Somos mesmo, como pássaro novo longe do ninho"!

Eu sei!

E isso é tudo e talvés possa ser o NADA.

 

 

 

Abraços ej...!!!

 

 

 

 

eliasdib
Enviado por eliasdib em 15/01/2022
Reeditado em 15/01/2022
Código do texto: T7429820
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.