Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ERA TUDO O QUE QUERIAM____________________________
 
Era tudo o que queriam! E tentaram me reinventar (mas antes eu queria tocar no mundo), e me fizeram penteados, roupas e se identificaram um bocado em suas projeções e aumentaram na catequese dos modos...
Mas eu sempre fui selvagem, ah! Sempre com joelhos ralados, espírito livre, cabelos desgrenhados, colecionando tombos (e com eles eu aprendi muitas coisas). Mas nunca, nunca me identifiquei naquelas proporções menores do ser. Mas reclamar menos ainda! Mesmo uma manhosa nata, sempre fui uma grande declarada avessa! Me matricularam em todo tipo de aulas, até as de boas maneiras (é, tinha esse curso!). Nele, todo tipo de coisa... sentar, falar, andar, comer, vestir... até o que pensar em relação ao que os demais poderiam pensar a seu respeito. E nisso, a objetificação do ser. O ser engaiolado. Portanto, eu respondo: não funcionou e nem nunca funcionará! Não para pessoas que têm o espírito livre! 
Já viram a geração de hoje? Um mimimi filho da puta! Tudo é demais, gente que nunca cresce, nunca passou por nenhuma batalha de fato! Improdutivos, incapazes e nasceram doloridos, frágeis, donos ferozes de bandeiras hipócritas. Ah, tivesse eu aceitado as normas de antigamente, as "boas maneiras", não teria sobrevivido nem metade. Teria crescido amputada de mim. Sendo assim, me permitam meus estragos, minhas incoerências, minha alma selvagem e o meu passo encruzilhada. Poetizo muito, mas o meu passo - não! -. Sempre fui a criatura que ficou na hora de roer o osso, contabilizar os estragos, contar as moedas, na frente de batalha e à beira do banquete também (por que não?).
Sim, brinco bastante, tenho um humor excelente, acordo todas as manhãs respirando fundo e desejando um dia bom sob um efeito Pollyanna... Mas sei que sou uma Fêmea e Mulher com letras maiúsculas, uma Parceira e tanto para todos os momentos. E, quando muitos arregaram diante de campeonatos de discursos, eu estava ocupada demais na prática. Então, não! Me desocupem das boas maneiras, me permitam a pólvora. Quem quiser ficar, que fique e me abrace... quem não, paciência.
oOoll LADY NOTURNA lloOo
Enviado por oOoll LADY NOTURNA lloOo em 10/07/2019
Reeditado em 10/07/2019
Código do texto: T6692738
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
oOoll LADY NOTURNA lloOo
Niue - Niue, 43 anos
917 textos (13478 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/19 21:30)
oOoll LADY NOTURNA lloOo

Site do Escritor