Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O relativismo imbecil de Schopenhauer

Para o esotérico Schopenhauer, “todo o corpo não tem de ser outra coisa senão minha vontade que se torna visível”.
Sendo a vontade o “íntimo de cada ser” e criadora de todo corpo, então, toda realidade concreta é expressão da minha subjetividade. Isso é de um subjetivismo atroz...
Se a realidade é produto do meu ser e a realidade do outro é produto do ser dele; então, cada ser vive no seu universo particular subjetivo e ninguém se conversa. Somos ilhas incomunicáveis e cada um com seus problemas. Eis o pensamento de merda do “grande” Schopenhauer.
Velho Ranzinza
Enviado por Velho Ranzinza em 25/09/2018
Código do texto: T6459132
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Velho Ranzinza
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
33 textos (571 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/20 12:01)
Velho Ranzinza