Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LEONEL III - POR QUE EU? - CAPÍTULO 8

                             CAPÍTULO VIII – POR QUE EU?

                                             
                                Leonel enxugou o rosto e emocionado, continuou:
- Eu o condenei ao que ele é agora. Ele decidiu assumir essa vida nessa encarnação pra me mostrar que eu era um verme maior do que ele pode ser considerado agora. Se apaixonou por mim, pelo Leonel... pra provar que me perdoou... pelo que eu fiz...
  Cris o ouvia com lágrimas rolando pelo rosto. Ele respirou fundo.
- Eis um trechinho da minha história que você não viu daquela vez, por total falta de coragem minha de te mostrar. Fiquei com medo que você não quisesse mais me ajudar depois de saber... que seu Leo Torres tinha sido um monstro sujo... um covarde. Um bêbado capaz de qualquer coisa pra não ser vencido, passado pra trás, mesmo sendo... pelo amor de uma mulher. O Haroldo não merecia... mas me perdoou. O Leandro no fundo sabe o que está odiando agora.
- Não dá pra crer... Cris murmurou.
- Seu pai, Cris... foi o maior amigo e o maior cara que eu já conheci. Um homem de uma luz incrível, como o Floyd é agora. Eu só lamento não poder fazê-lo feliz... do jeito dele... Eu seria incapaz agora de ao menos tentar alguma coisa, mas eu o amo muito. Amava como Leo e o amo ainda mais como Leonel. Amo ainda mais porque ele me trouxe você... de novo. Minha Cristina...
   Cristina o abraçou e os dois choraram juntos.
- Me perdoa! – ele pediu.
   Ela não conseguiu dizer nada. Quando se afastou, respirou fundo e disse:
- Traga o Leonel de volta... Ele vai saber enfrentar tudo, eu sei. Ele vai ser forte. Não prive você mesmo de seguir seu caminho, Leo. Não tenha medo. Eu estou aqui...
   Ele balançou a cabeça confirmando. Segurou o rosto dela entre as mãos e a beijou na boca, doce e apaixonadamente. Tonta, Cristina ficou olhando para ele, sem saber o que dizer. Ele sorriu e vasculhou o rosto dela com os olhos.
- Que bom ter um corpo pra poder te beijar... nem que seja só uma vez... Minha Cristina... Agora vai, me deixa sozinho.
- Antes... eu quero te fazer uma pergunta...
  Ele se afastou dela e esperou. Cristina reuniu toda sua coragem para sair daquela emoção e perguntou:
- Porque você procurou a mim, antes de reencarnar no meu sobrinho?
  Ele sorriu.
- Nós já reencarnamos várias vezes juntos e em todas elas... nós nos casamos.
  Cristina sorriu.
- Almas consortes?
  Ele confirmou com um gesto.
- Só na última vez... quando eu era Leo Torres... você morreu antes... ele falou triste, acariciando o rosto dela.
   Cristina fechou os olhos, sentindo a mão dele em sua pele.
- A japonesinha...
- Minha boneca japonesa, que morreu de tristeza com doze anos...
   Ela abriu os olhos.
- E por que agora?
- Justamente por isso. Eu preciso resolver meu problema com o Leandro. Há uma série de coisas erradas comigo, Cris. Não dava para fazer parte da sua vida como seu marido de novo. Nem agora. Mas já me basta estar perto de você.
- Por que você não me disse isso antes?
- Interromperia todo um processo. Você não estava... preparada para saber disso. E... de mais a mais... você já estava apaixonada por mim antes de nascer... como filha da Gilda e do Haroldo... e também aceitou essa missão pra me ajudar, independente de estarmos juntos. Eu te procurei por isso e porque sabia que você me aceitaria como eu era e, apesar de ficar confusa, me ajudaria, como ajudou. Eu teria passado anos naquele quarto até poder voltar e... acabar com todo esse conflito, se não fosse você...
  Cristina se sentiu feliz por ter sido tão importante para alguém e segurou a mão dele.
- Isso significa que estaremos sempre juntos?
- Sempre.
   Ela sorriu e levantou-se, enxugando o rosto. Foi para a porta.
- Cris... ele chamou.
  Ela se voltou.
- Oi.
- O Floyd te ama. Tenta tirar ele dessa vida.
- Como?
- Casa com ele.
  Cristina ficou pensativa e abriu a porta.
- Vou pensar... Meu irmão não concordaria com isso nunca.
- Você é maior de idade. Não depende dele para nada.
- O Floyd é muito mais jovem que eu Leo.
- É... é pobre, meio marginal, é músico, não trabalha em nada definitivo... fora o fato de ser bissexual.
- Não é só por isso. Ele é um homem maravilhoso. Mas eu mal descobri que ele foi meu pai, Leo... e ainda estou apaixonada por você...
   Ele sorriu e encolheu os ombros.
- Mas eu vou pensar... Vou pensar.
  Ela saiu do quarto, foi para o seu e deitou-se na cama, chorando.

 
                     LEONEL (REENCARNAÇÃO) III – CAPÍTULO 8
                                           “POR QUE EU?”
             O AMOR DE DEUS É IMENSO! USUFRUA DELE COM AMOR,
                                         AMANDO SEU IRMÃO.
                               OBRIGADA, SENHOR, POR TUDO!
                      PELA PIEDADE, PELO AMOR E PELAS BÊNÇÃOS!
                                     BOA TARDE E OBRIGADA!
Velucy
Enviado por Velucy em 29/07/2020
Código do texto: T7020343
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1763 textos (11956 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/08/20 16:02)