Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMANDA VII - A VOLTA DE RITA XII - PARTE 2

                                       II – A VOLTA DE RITA

                                             Letícia abraçou-se mais forte com o pai.
- Eu fiquei assustada ontem. Pensei que você...
- Não... Não fala nada. Está tudo bem, meu amor. Está tudo bem.
   Ele abraçou a filha com carinho, afastou seus cabelos longos do rosto e beijou sua testa. Depois, segurou e beijou a mão de Mariana.
- Prometo que vou me cuidar, está certo?
   Ela apenas sorriu e balançou a cabeça.
- Eu posso te pedir uma coisa, Mari? - ele perguntou.
- O quê?
- Domingo, não comenta nada com o papai e com a mamãe sobre... sobre essas coisas que têm acontecido comigo, certo?
- Por quê?
- Eu sei que eles vão ficar preocupados e é o dia da volta deles. Acho que não é o dia certo pra falar disso, concorda? Não quero baixar a bola de ninguém, ‘tá bom? Me ajuda nessa, por favor.
   A menina concordou, balançando a cabeça.
- Obrigado, maninha. Te amo.
   Ele beijou o rosto da irmã e olhou para Letícia já dormindo em seu colo de novo.
- Ah, meu Deus, dormiu de novo. Lê, acorda, filha! Tem escola, hoje, amor.

   Depois de deixar as crianças na escola e Amanda na agência, Marco foi ao consultório do doutor Schuster para que ele fizesse nele um novo exame e o médico lhe receitou novos medicamentos para que ele não sentisse mais dores de cabeça tão fortes por conta do problema. O médico lhe receitou comprimidos que servissem como paliativo. Marco, então, seguiu com sua vida normal e continuou fazendo seu trabalho com Amanda na AR&MAR.

   As fotos promocionais de roupas infantis dos gêmeos e das crianças para a grife Bunny’s com quem continuavam trabalhando na escala mais infantil, ficaram prontas e os dois revisavam todas com Bárbara e Eduardo na sala de reuniões, quando o telefone tocou. Marco atendeu:
- Alô...
- Marco! Oi, meu querido!
- Rita?! Que bom ouvir sua voz, prima. Como você está? Aliás, onde você está?
- Já estou em São Paulo. Acabei de chegar. Estou no colégio. Vim dar um beijo no meu marido. Estava morrendo de saudade dele e de vocês.
- Pensei que não voltasse mais da Bahia. Como é que foi lá?
- Maravilhoso! Melhor impossível. O desfile da RR em Salvador foi espetacular. Você devia estar lá. E a Amanda também. Você com sua pele morena sensual e ela com o branquinho leite de coco dela. Vocês iam arrasar lá, baby! Os baianos iam amar vocês.
- Ainda bem que eu não sou mais seu funcionário...
- Olha que eu rogo uma praga pra AR&MAR falir e você vai ter que voltar pra mim, hein?
- Vira essa boca pra lá, Rita, ele disse, batendo três vezes na mesa. - Eu tenho filhos pra criar agora.
- Estou brincando, primo/genro querido. Se tem alguém que torce de uniforme e tudo por vocês esse alguém sou eu. E vocês são abençoados desde que nasceram. Nenhum olho gordo vai derrubar vocês. A história de vocês já provou isso.
- Amém!
- Mas como é que você está? Tudo bem?
- Tudo bem.
- E a Amanda e as crianças? Estou morrendo de saudade dos meus fofos.
- Estão bem. A gente vai almoçar com meus pais no domingo, o professor te falou?
- Falou, a gente vai estar lá, mas antes eu vou passar aí pra dar um beijo em vocês, tá bom?
- Hoje?
- Daqui a pouco. Só vou passar em casa, tomar um banho e estou indo praí. Me espera. Beijo, amor.
- Outro, até já então.
   Ele colocou o telefone no gancho e anunciou:
- A Rita chegou da Bahia. Está vindo pra cá.
- Que bom. Já não era sem tempo, falou Amanda.
- Vamos deixar as fotos das crianças todas aqui na mesa do jeito que estão pra ela ver quando chegar.


                                  A VOLTA DE RITA
                                        PARTE II

                     É fundamental sabermos exatamente
                     o que queremos realizar em nossa vida.

         Vamos fazer o que é certo e bom pra nós e para o próximo.

                              OBRIGADA E BOM DIA!

Velucy
Enviado por Velucy em 11/01/2019
Código do texto: T6548117
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1432 textos (8574 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/03/19 02:06)