Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quinquagésimo segundo contopoesia ou chuvas imóveis e pontuais






                     São tantas chuvas, da mais fina à mais intensa, daquela que é somente bruma à outra espessa, sólida parede de água. Um jardim, uma floresta, como se fosse um filme, como se fosse um álbum. De todas, as menos diluídas são as chuvas no mar, as chuvas no mato, as chuvas na represa. E a mais embaçada, a mais turva é que ainda desce somente dentro da alma. Mesmo no seu consultório, totalmente seco, uma amiga disse que tinha muita água, por conta dos quadros, por conta da fonte. Chuvas imóveis e pontuais.












Francisco Zebral
Enviado por Francisco Zebral em 29/11/2019
Código do texto: T6806412
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Francisco Zebral
São Paulo - São Paulo - Brasil, 60 anos
7549 textos (448576 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/01/20 08:03)
Francisco Zebral