Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LIBERDADE... "No Recanto das LETRAS, que é um Recanto das FLORES, no dia 28-07-2016, surgirá uma NOVA FLOR. É o aniversário da Poetisa Tânia Meneses.".







O ENCONTRO ENIGMÁTICO de DUAS BELAS FLORES.
     
“DEUS é ONIPOTENTE”.
     

     Na verdade e a bem da verdade, surgirão duas belííííssiiiimas FLORES. A primeira FLOR chama-se Professora Tânia, que, insisto em dizer é uma “MULHER de 40”.
     Poetisa! Você não deve fazer nenhuma reclamação à minha humilde pessoa.
     A reclamação deverá ser dirigida ao Rei Roberto Carlos, que, através de uma “FORÇA ESTRANHA” o leva a cantar “MULHER de 40”. A “FORÇA ESTRANHA” é uma “FORÇA DIVINA”.
     O talentoso compositor e cantor Caetano Veloso também conhece esta “FORÇA ESTRANHA”.
     E qual será a segunda FLOR? Uma menina, que de tão menina, continua carinhosamente menina. Tanto que, o nome dela é NINA. Uma meNINA chamada NINA.
     NINA quem é você NINA? Com um belo sorriso, a menina NINA responde: - Eu sou NINA, a meNINA NINA.
     Então, um BEIJA-FLOR que estava no Recanto das FLORES, sempre sorridente, fez uma pergunta sentimental: - MeNINA NINA, o que você veio fazer em ARACAJU? NINA, a meNINA NINA, com um lindo sorriso respondeu ao BEIJA-FLOR sorridente: - Vim comemorar o aniversário de uma FLOR chamada Tânia Meneses.
     E concluiu NINA: - A Escritora e Poetisa Tânia Meneses tem o coração de uma MULHER de 40. E eu, sou apenas uma MENINA... Chamada NINA...
     Alô BRASIL! Alô MUNDO! Alô UNIVERSO! No próximo dia 28 de julho, a Poetisa Tânia Meneses estará completando mais uma primavera.
     Antecipadamente... FELIZ ANIVERSÁRIO PROFESSORA! PARABÉNS POETISA TÂNIA MENESES!
     Nisto, surgiu uma voz harmoniosamente CELESTIAL e pediu-me educadamente:
     1º toque a música “Força Estranha”. Depois toque a música “MULHER de 40”. Em 3º lugar toque a música “O VOO do BEIJA-FLOR” da minha filha Elisa Cristal, em homenagem à minha filha meNINA NINA, e no final da festa chame o meu filho ERASMO CARLOS e mande ele tocar a seguinte música... @@@@@@@ dó, ré, mi, fá, sol, lá si @@@@@@@. Aceitem minha BENÇÃO. A voz CELESTIAL sumiu!
 
@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@
 
 
     
ERASMO CARLOS.


@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@



@@@@@@@ = ARROUBA. Então...





FESTA DE ARROMBA.



Vejam só que Festa de Arromba!/(Bapára!)/No outro dia, eu fui parar.../(Bapára!)/Presentes no local,/o rádio e a televisão;/(Bapára!)/
Cinema, mil jornais,/muita gente, confusão...



          Quase não consigo/Na entrada chegar,/pois a multidão/estava de amargar!/Hey! Hey! (Hey! Hey!)/Que onda!/Que festa de arromba!...


Logo que eu cheguei, (Bapára!)/notei Ronnie Cord/com um copo na mão./(Bapára!)/Enquanto Prini Lorez/bancava o anfitrião,/(Bapára!)/
apresentando a todo mundo/Meire Pavão...


          Wanderléa ria/e Cleide desistia/de agarrar um doce/que do prato não saia!/Hey! Hey! (Hey! Hey!)/Que onda!/Que festa de arromba!...


Renato e seus Blue Caps/tocavam na piscina;/The Clevers no terraço;/
Jet Black's no salão;/Os Bells de cabeleira/não podiam tocar,/enquanto a Rosemary/não parasse de dançar...


          Mas!/Vejam quem chegou de repente:/(Bapára!)/Roberto Carlos em seu novo carrão!/(Bapára!)/Enquanto Tony e Demétrius/fumavam no jardim,/(Bapára!)/Sérgio e Zé Ricardo/esbarravam em mim...


Lá fora um corre corre/dos brotos do lugar:/Era o Ed Wilson/que acabava de chegar!/Hey! Hey! (Hey! Hey!)/Que onda!/Que festa de arromba!...


          (Bapára!) (Bapára!) (Bapára!)/Hey! Hey! (Hey! Hey!).


Renato e seus Blue Caps/tocavam na piscina;/The Clevers no terraço;/Jet Black's no salão;/Os Bells de cabeleira/não podiam tocar,/enquanto a Rosemary/não parasse de dançar...


          Mas!/Vejam quem chegou de repente:/(Bapára!)/Roberto Carlos em seu novo carrão!/(Bapára!)/Enquanto Tony e Demétrius/fumavam no jardim,/(Bapára!)/Sérgio e Zé Ricardo/esbarravam em mim...


Lá fora um corre corre/dos brotos do lugar:/Era o Ed Wilson/que acabava de chegar/Hey! Hey! (Hey! Hey!)/Que onda!/Que festa de arromba!...(sete vezes).




Aracaju, segunda-feira, 25 de julho de 2016.


Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573 – BANQUEIRO e Um Eterno Aprendiz.
jorge martins e Erasmo Carlos.
Enviado por jorge martins em 25/07/2016
Código do texto: T5708580
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
jorge martins
Aracaju - Sergipe - Brasil, 70 anos
886 textos (107403 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/04/21 21:32)
jorge martins

Site do Escritor