Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LIBERDADE... (...). - Uma mensagem "poética", para a Poetisa Tânia Meneses - Três TERNOS.






Três TERNOS (uma oferenda à Poetisa Tânia Meneses).



Vendam-me um TERNO VERDE.
Alegre e VERDE.
Mesmo que seja furado.
Para que os raios do SOL que SORRI.
Possa penetrar-lhe.



Vendam-me um TERNO VERDE.
Um cobertor AZUL.
Tamancos de verniz VERDE.
Quero uma BANDEIRA onde eu possa SORRIR.
A morte da ANARQUIA.
Dia e noite.
Noite e dia.




Ou, por outra, me vendam um TERNO AMARELO.
AMARELO de iluminar nos olhos.
De inundar a mente.
De lavar a tempestade.




Vendam-me um TERNO de leite.
Para que, mesmo trabalhando, com deleite.
Eu possa comemorar.
Eu possa gritar.
Eu te odeio ANARQUIA.
Assim da mesma maneira que odeio.
Zé (Dirceu), João (Daniel) e companhia.



E, ainda, vendam-me um TERNO AZUL e ANIL.
Pois, eu respeito, e muito.
A BANDEIRA do BRASIL.



Aracaju, sábado, 16 de abril de 2016.

Jorge Martins Cardoso – Médico (e futuro BANQUEIRO) – CREMESE – 573.


     Fontes: (1) Os Bosques. (2) – Os Jardins. (3) – As Flores. (4) – Os BEIJA-FLORES. (5) – A Bandeira do BRASIL. (6) - Um Eterno Aprendiz.
jorge martins
Enviado por jorge martins em 16/04/2016
Código do texto: T5607084
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
jorge martins
Aracaju - Sergipe - Brasil, 70 anos
878 textos (103711 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/20 22:10)
jorge martins

Site do Escritor