Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LIBERDADE... A VIDA... "Agradecendo a escritora e poetisa Maria Luiza Bremide". Com um CACHOEIRO...




          Para a escritora e poetisa Maria Luiza Bremide, de Cachoeiro de Itapemirim – Espírito Santo.


          As letras das suas duas músicas “Minha Paixão” e “Jejum de Amor” bastam apenas colocar os acordes, para se transformar numa bela melodia. Eu não sou musicista, mas, devo confessar que gosto de músicas. Sendo você filha de Cachoeiro de Itapemirim, a terra natal do Rei Roberto Carlos e do compositor Raul Sampaio, as músicas nasceram num terreno fértil.
          Sobre a música “Sutilmente” de Skank confesso que não a conhecia. Sua personalidade veste a “indumentária” da referida música. Ótimo.
          De Skank gosto mais de “Ainda Gosto Dela”. Mas, o que eu gostaria de ouvir mesmo era o Skank e o Gilberto Gil cantando juntos a música “Vamos Fugir”. Não sei se os dois já cantaram juntos a mencionada melodia.
          Eu não sou poeta. Eu sou apenas mais um médico entre tantos outros. Sem inspiração poética, desejo agradecer apenas sua visita a um dos meus artigos. E, pedindo desculpas pela minha pobreza poética, faço meus agradecimentos através de uma mensagem musical.









AAAAAAALLLLLLLÔÔÔÔÔÔÔ - CACHOEIRO de ITAPEMIRIM!!!



Dó###########################################Ré###########################################Mi###########################################
Fá###########################################Sol###########################################Lá###########################################SI###########################################






Meu Pequeno Cachoeiro.

Cantor: Roberto Carlos .

Compositor: Raul Sampaio.




Eu passo a vida recordando
De tudo quanto aí deixei
Cachoeiro, Cachoeiro
Vim ao Rio de Janeiro
Pra voltar e não voltei.



Mas te confesso na saudade
As dores que arranjei pra mim
Pois todo o pranto destas mágoas
Ainda irei juntar as águas
Do teu Itapemirim.



Meu pequeno Cachoeiro
Vivo só pensando em ti
Ai que saudade dessas terras
Entre as serras
Doce terra onde eu nasci.



Meu pequeno Cachoeiro
Vivo só pensando em ti
Ai que saudade dessas terras
Entre as serras
Doce terra onde eu nasci.



Recordo a casa onde eu morava
O muro alto, o laranjal
Meu flamboyant na primavera
Que bonito que ele era
Dando sombra no quintal.



A minha escola, a minha rua
Os meus primeiros madrigais
Ai, como o pensamento voa
Ao lembrar a terra boa
Coisas que não voltam mais.



Meu pequeno Cachoeiro
Vivo só pensando em ti
Ai que saudade dessas terras
Entre as serras
Doce terra onde eu nasci.



(Declamado):
“Sabe meu Cachoeiro
Eu trouxe muita coisa de você
E todas essas coisas
Me fizeram saber crescer
E hoje eu me lembro de você
Me lembro e me sinto criança outra vez”



Meu pequeno Cachoeiro
Vivo só pensando em ti
Ai que saudade dessas terras
Entre as serras
Doce terra onde eu nasci.
 

          Aracaju, quinta-feira, 25 de agosto de 2016.

          Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573 – “BANQUEIRO” e Um Eterno Aprendiz.
         

          Fontes: (1) – DEUS. (2) – Milhões de BEIJA-FLORES que lhe mandam beijos e flores.
jorge martins, Roberto Carlos e Raul Sampaio.
Enviado por jorge martins em 25/08/2016
Código do texto: T5740038
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
jorge martins
Aracaju - Sergipe - Brasil, 70 anos
878 textos (103711 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/20 22:12)
jorge martins

Site do Escritor