Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cuidar da natureza e do Brasil.Crase.

Não tem crase "Fui a Minas". Porque basta substituir por vir de Minas. Quando aparece nessa substituição a preposição de, não se coloca o acento grave de crase.

Mas, "Fui à Bahia. Há crase, porque há a condição de crase: a + a= à. Basta substituir por da, preposição com o artigo a (de + a+ da).  Vim da Bahia. Apareceu na frase agora 'da", então existe crase.

de > sem crase na frase. (sem obrigação da crase) : só aparece o artigo a.

da > com crase na frase. (uso obrigatório da crase: a + a  = à).

Fique com Deus e Jesus: Ele é rechaçado em Jerusalém e morto para nosso bem. Mistério da vida, saída do mal, remédio de Deus: Jesus se identifica com a dor e as dificuldades de toda as pessoas, sem distinção de ninguém. Ele não aceita a raiz do mal, da morte, da injustiça no mundo: o que chamamos de egoísmo - mau uso da liberdade.

Páscoa é uma inquietude ou utopia. A esperança na ética e no infinito, de que tudo aqui é limitação e fragilidade, contingência, mortalidade. Tudo aqui é efemeridade, ou seja, tudo passa ou é efêmero. Então, deve ter possivelmente uma dimensão sem fim e um devir ou futuro. O homem é tridimensional: presente que se torna passado a cada minuto e o presente que aponta ao futuro, inexoravelmente.

Por isso, o homem é um ser incompleto e não totalmente potente e nem onisciente: suas decisões estão sujeitas ao erro, limitações, conjecturas, fracassos, frustrações, incertezas, inseguranças. Sofre da angústia de sua morte, vive de suas tensões e tem que lidar a cada momento de novo com com ansiedade e replanejar seus atos e projetos.

Sua teimosia o torna vivaz, instigante, surpreendente, imprevisível, um construtor de seu eu e de sua história. O presente é a chave de opções, o passado é a referência e memória de seus recursos e energias, talvez medo e ousadia; já o futuro: sim, o porvir mais próximo que o futuro, a chance  de lançars-se à frente, ser pro+jectum (projeto) e visão de realizações e sonhos. Nunca está totalmente satisfeito consigo, porque se dá o direito de tentar tantas vezes quantas forem necessárias para alcançar metas, rever objetivos, prever desafios, sustentar utopias, erguer-se em sustentabilidades dentro de seu microcosmos (sua consciência e alteridade, sem os outros não se constrói sua dinâmica social e afetiva) e sua contemplação e avanços macrocosmos (mudar o mundo, rever o sistema solar, dominar galáxias...).

Duro é ver que domina mundos, oceanos, geleiras, mares, montanhas... mas tem dificuldade de se aceitar e dominar seus instintos e paixões, medos e crenças, emoções e perder-se no labirinto interior de que navega (adoecendo, subordinando povos e humilhando pessoas, mas não se humanizando... como fizeram outros que antes de si mesmo ou de seu tempo, conseguiram se dominar para ficar ou fazer uma história ética, fraterna e menos desigual, menos violenta e sustentável para o hoje e as futuras gerações... e os animais e plantas.

A CAMPANHA DA FRATERNIDADE reflete os biomas brasileiros em que (onde) ocorre a história e vidas de milhões de brasileiros. A natureza pede socorro! As águas estão sendo poluídas. as cidades infestadas de epidemias, os homens se estranham com a destruição de florestas, caatinga, cerrado, mata atlântica, pampas, etc.

Cuidemos, pois, (entre virgulas tem o sentido de então) da Terra ou das terras do Brasil.

Sonhemos com nossa horta interior despoluída com ética e com a diferença no respeito a todos. Fazemos parte do milagre da Vida.
J B Pereira
Enviado por J B Pereira em 10/04/2017
Código do texto: T5967351
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2301 textos (1288911 leituras)
14 e-livros (91 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/19 03:58)
J B Pereira