Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COMO PASSAR EM VESTIBULARES, PROVAS E CONCURSOS 2015

O QUE SE ESPERA DE UMA BOA PRODUÇÃO DE TEXTO É A VISÃO CRÍTICA E O EQUILÍBRIO ENTRE AS IDEIAS E A PRÁTICA SOCIAL. AS PONDERAÇÕES E SUGESTÕES AJUDAM DAR FORÇA ARGUMENTATIVA E A CONVENCER PARA O BEM O SEU LEITOR.

 Concursos públicos dão dicas de estudo em:

https://www.youtube.com/watch?v=S2grklPTki0

As Melhores Dicas para passar em Concurso
- Dr William Douglas (2013) em: https://www.youtube.com/watch?v=1HoiSaLlxig

Resumo
Síntese e comentário de João Bosco – Tutor – a partir de William Douglas (2013) em 05/03/2014.

O desafio de passar em provas de alta dedicação exige uma plataforma de esforços e disciplinarização (a disciplina interna reflete a externa e não o contrário) em que o candidato percorre uma estrada como um atleta cumpre seu périplo e percurso.
Vestibular – vem de vestimenta, veste, vestiário, etc. O termo nos remete a condição dos ritos iniciáticos em todas as culturas. A vida adulta se impõe como condições de profissionarizar-se e ser comprometido com os resultados e status quo (= estado de coisas ou a ordem constituída pela sociedade seja a hierarquia, a política, o poder, a ordem dos deuses, o sacerdócio, o militante, o discursivista, o sermoniário, o copista, o rei e a submissão dos vassalos, a ideologia vigente...)
Desde tempos remotos, jovens foram submetidos a jogos e provas para assumir responsabilidades, cargos, governo, família, postos militares etc. Dentro desse quadro,os sofistas recomendavam a oratória para disputar os cargos políticos e o conselho dos gregos; a Igreja preparava os candidatos a vida monástica com longo período propedêutico...
William Douglas (2013) nos propõe um caminho de preparação à luz dos ditames da consciência e da mística bíblica, sem desprezar outras culturas e intelectuais bem sucedidos.
1. Redação – p. 95 –
2. Perguntas e curiosidade – p. 103
3. Resumo – p. 107-8
4. O sistema SQ3R – p. 109 – As fases do cognitivo-emocional : p. 111 e o quadro sinótico: p. 112
5. Estudo – p. 119, 120-121-124
6. Silêncio – p. 130
7. Paradigma: p. 141 e atitudes: p. 140
8. Cuidados na hora da prova: p. 153
9. TÉCNICAS de relaxamento: p. 156
10. Deu branco, e agora? P. 157
Acalmar-se ROMANOS 8, 28: p. 161,
11. Marcar o cartão ou gabarito: p. 167
Dicas básicas: p. 177 – o uso do lápis e alinhamento correto das alternativas na transportação de respostas (atenção)
Reflexão: leituras chatas ou leitores(rãs) interessados(as)?
12. Conclusão dos estudos acima: p. 182, 187, 188.

Resenha do livro:

...William Douglas reúne métodos e técnicas que levam o estudante a aprender melhor e a render mais em provas. Um manual excelente que inspira e ensina por meio de esquemas que transformam o modo como o estudante conduz seu aprendizado. (...) Como se não bastasse ser o maior conteúdo para sua preparação, apresenta novas formas de encarar o mundo e superar desafios que vão muito além dos estudos, assegurando ao leitor as respostas para aquelas dúvidas que nunca lhe foram sanadas. Uma ferramenta para cada passo de sua jornada rumo ao futuro.

 

PROVAS

http://concursos.correioweb.com.br/f5/concursos/modulos/arq_provas_simulados/20131209184641350.pdf

As Melhores Dicas para passar em Concurso - Dr William Douglas (COMPLETO) 2013

___________________________

As Melhores Dicas para passar em Concurso - Dr William Douglas (COMPLETO) 2013
https://www.youtube.com/watch?v=1HoiSaLlxig
REDAÇÃO - ENEM
• Uma Ideia na Cabeça, um Lápis na Mão e Muito Esforço - Duração 29min 31s
• O Tópico Frasal no Texto Dissertativo - Duração 29min 22s
• A Necessidade de Escrever um Texto - Duração 25min 52s
• A Dissertação nos Concursos - Duração 30min 7s
• Esquema Básico de uma Dissertação para Concurso - Duração 24min 24s
• Escrever, só escrevendo - Duração 25min 0s
• O Que é Redigir? - Duração 23min 57s
• Gêneros Literários - Duração 33min 1s
• A Dissertação Objetiva - Duração 30min 4s
• A Relação Entre o Texto e os Leitores - Duração 29min 19s
• Argumentação e Persuasão no Texto Dissertativo - Duração 34min 21s
• A Coesão Entre Argumentos - Duração 27min 3s

•  Literatura 20 vídeoaulas [ + ] confira relação de videoaulas
• A Arte – Conceitos,Definições E Manifestações - Duração 25min 46s
• Romantismo – Poesia - Duração 27min 33s
• Pós-Modernismo – Poesia - Duração 22min 4s
• Trovadorismo E Humanismo Na Literatura Portuguesa - Duração 28min 7s
• Literatura – Definição E Conceitos - Duração 19min 31s
• Linguagem Literária E Não-Literária - Duração 33min 24s
• Renascimento - Classicismo - Duração 24min 6s
• Quinhentismo E Barroco - Duração 33min 44s
• Figuras De Linguagem - Duração 23min 26s
• Pré-Modernismo - Duração 29min 54s
• Modernismo – Romance De 30 - Duração 32min 6s
• Teatro E Crônica Do Século XX – Principais Autores - Duração 34min 5s
• A Semana De Arte Moderna - Duração 27min 22s
• Realismo/ Naturalismo - Duração 22min 5s
• Vanguardas Européia - Duração 29min 14s
• Modernismo Em Portugal: Fernando Pessoa E Seus Heterônimos - Duração 32min 22s
• Arcadismo: Portugal E Brasil - Duração 25min 4s
• Romantismo – Prosa E Teatro - Duração 28min 7s
• Parnasianismo E Simbolismo - Duração 33min 57s
• Modernismo Fase II - Poesia - Geração De 30 - Duração 30min 40s
http://www.passenovestibular.com.br/preparatorio/enem-completo/?gclid=CJf01KrjrKsCFZJU7AodbUCN4w

GRAMÁTICA - ENEM
• Processos de Formação das Palavras - Duração 24min 17s
• Estudo Mórfico dos Verbos - Duração 24min 14s
• Advérbios - Duração 24min 49s
• Termos Associados aos Nomes - Duração 23min 30s
• Orações Subordinadas Adverbiais - Duração 30min 33s
• Crase e Usos do Acento Grave - Duração 29min 47s
• Pontuação II - Duração 23min 19s
• Variedades Linguísticas do Português - Duração 21min 25s
• Fonologia e Ortografia - Duração 23min 23s
• Numerais e Pronomes - Duração 27min 47s
• Pronomes - Aspectos Gramaticais - Duração 21min 58s
• Verbos - Duração 24min 59s
• Semântica - Duração 23min 13s
• Pronomes Relativos - Duração 23min 41s
• Substantivos, Adjetivos e Artigos - Duração 26min 11s
• Termos Associados aos Verbos - Duração 28min 1s
• Sintaxe de Regência - Regência Verbal - Duração 27min 19s
• Paralelismo Gramatical - Duração 26min 49s
• Orações Subordinadas Adjetivas - Duração 29min 48s
• Sintaxe de Concordância - Concordância Nominal - Duração 27min 49s
• A Predicação Verbal - Duração 28min 58s
• Análise Sintática - Estudo Unificados dos Sintagmas - Duração 20min 18s
• Colocação Pronominal - Duração 27min 37s
• Orações Subordinadas Substantivas - Duração 30min 49s
• Sintaxe de Concordância - Concordância Verbal - Duração 32min 39s
• Estudo Sintático dos Verbos - Duração 23min 34s
• Pontuação I - Duração 28min 40s
• Sintaxe de Colocação - Duração 25min 39s
• Conectivos I - Duração 25min 34s
• Conectivos II - Duração 26min 8s
• Interjeições e Palavras Denotativas - Duração 25min 42s
• Sujeito e Predicado - Duração 29min 48s
• Vozes Verbais - Duração 25min 41s
• Orações Coordenadas - Duração 26min 58s

______________________________________

PREPARATÓRIO REDAÇÃO - João Bosco

Referência bibliográfica

GRANATIC, Branca. Técnicas básicas de redação. 4 ed. São Paulo: Scipione, 2011

O que você não deve fazer em uma dissertação? (GRANATIC, 2011, p. 125-130).

http://pt.slideshare.net/FabricioSouza12/o-que-voc-no-deve-fazer-em-uma-24033455

1. Jamais use gírias em sua dissertação.
2. Não utilize provérbios e ditos populares: Como já dizia meu avô: “Dize- me com quem tu andas, que eu te direi quem és”.
3. Nunca se inclua na sua dissertação. A não ser quando for artigo de opinião.
4. Não utilize sua dissertação para propagar doutrinas religiosas.
5. Jamais analise os temas propostos movido por emoções exageradas.
6. Não utilize exemplos contando fatos ocorridos com terceiros, que não sejam de domínio público. Aqui mesmo nas costas brasileiras testemunhamos a construção e funcionamento destas plataformas que, em sua maioria, contribuem para aumentar substancialmente as nossas reservas petrolíferas. O filho da minha vizinha, Dona Laura, trabalhava em uma dessas plataformas.
7. Evite abreviações O ministro c/ seus assessores saíram da sala de reunião. Verificaremos outros pontos da questão pra compreendermos melhor esse assunto. Os cidadãos daquele país tb se preocupam com a redemocratização.
8. Nunca repita várias vezes a mesma palavra.
9. Procure não inovar, por sua conta, o alfabeto da língua portuguesa.
10. Tente não analisar os assuntos propostos sob apenas um dos ângulos da questão O advento da televisão nas últimas três décadas foi, com certeza, o golpe mortal desferido na inteligência e na cultura dos milhões de telespectadores que dela se utilizam e que a ela estão inconscientemente aprisionados. É a televisão a grande responsável pelo processo da massificação a que se submetem principalmente as novas gerações. Afastadas dos livros e das formas mais eruditas da música e de outras artes, têm diante dos olhos o desenrolar de programas medíocres que promovem, indiscutivelmente, a desinformação. Isso sem contar com as distorções de comportamento provocadas principalmente nas crianças que assistem, impassíveis, aos desenhos que primam pela violência, destruição e insanidade. Este veículo de comunicação é, sem dúvida, o mal do nosso século: destrói o espírito crítico e promove a alienação em todos os níveis.
11. Não fuja ao tema proposto.

Produção de texto com base em esquemas EM:
https://www.algosobre.com.br/redacao/producao-de-texto-com-base-em-esquemas.html

Sugestão de Produção de Texto com Base em Esquemas Básico da Dissertação:

1º parágrafo: TEMA + argumento 1 + argumento 2 + argumento 3
2° parágrafo :desenvolvimento do argumento 1
3° parágrafo: desenvolvimento do argumento 2
4° parágrafo: desenvolvimento do argumento 3
5° parágrafo: expressão inicial + reafirmação do tema + observação final.

Exemplo: TEMA: Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver graves problemas que preocupam a todos.
Por Quê?
Argumento:. 1: Existem populações imersas em completa miséria.
arg. 2: A paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais.
arg. 3: O meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico.

Texto definitivo

Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver os graves problemas que preocupam a todos, pois existem populações imersas em completa miséria, a paz é interrompida frequentemente por conflitos internacionais e, além do mais, o meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico.
Embora o planeta disponha de riquezas incalculáveis – estas, mal distribuídas, quer entre Estados, quer entre indivíduos – encontramos legiões de famintos em pontos específicos da Terra. Nos países do Terceiro Mundo, sobretudo em certas regiões da África, vemos com tristeza, a falência da solidariedade humana e da colaboração entre as nações.
Além disso, nestas últimas décadas, temos assistido, com certa preocupação, aos conflitos internacionais que se sucedem. Muitos trazem na memória a triste lembrança das guerras do Vietnã e da Coréia, as quais provocaram grande extermínio.
Em nossos dias, testemunhamos conflitos na antiga Iugoslávia, em alguns membros da Comunidade dos Estados Independentes, sem falar da Guerra do Golfo, que tanta apreensão nos causou.
Outra preocupação constante é o desequilíbrio ecológico, provocado pela ambição desmedida de alguns, que promovem desmatamentos desordenados e poluem as águas dos rios. Tais atitudes contribuem para que o meio ambiente, em virtude de tantas agressões, acabe por se transformar em local inabitável.
Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária. É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas forças ameaçadoras, para podermos suportar as adversidades e construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais facilmente habitado pelas gerações vindouras.
Se vocês seguirem a orientação dada pelo esquema, desde o 1º parágrafo, verão que não há como se perder na redação, nem fazer a introdução maior que o desenvolvimento, já que a introdução apresenta, de forma embrionária, o que será desenvolvido no corpo do texto. E lembre-se de que a conclusão sempre retoma a ideia apresentada na introdução, reafirmando-a, apresentando propostas, soluções para o caso apresentado. Com essa noção clara, de estrutura de texto, também é possível melhorar o seu desempenho nas provas de compreensão e interpretação de textos.
ATIVIDADES em folha separada: ORIENTAÇÃO: primeiro faça um rascunho de suas ideias, procurando depois sistematizar ou selecionar as melhores ideias. Cada ideia tem vários argumentos ou evidências ou respostas ao tema principal. Depois, reveja o seu texto, corrigindo-o gramaticalmente. Passe a limpo, finalmente e entregue ao seu professor.

1. Desenvolva um tema para pelo menos dois dos títulos abaixo: ORIENTAÇÃO:: mínimo de linhas: 10 linhas; máximo de linhas: 30 (para concursos, atualmente).
a) A mulher e o homem no trabalho: quem é mais produtivo?
b) Pedofilia e a Internet

2. Escolha um dos temas abaixo desenvolva um título para ele e, seguindo o esquema do texto argumentativo, escreva um parágrafo de Introdução.

a) O país tem perdido grandes áreas florestais por conta do devassamento.
b) Os jovens estão cada vez mais conectados com mundo, mas solitários e indecisos.
c) A lei Maria da Penha é uma conquista para a luta contra a violência doméstica

Dissertação - 2ª parte -

http://pt.scribd.com/doc/30259877/dissertacao-Branca-Granatic-2%C2%AA-parte#scribd

ESQUEMA BÁSICO TEXTO ARGUMENTATIVO – A DIFERENÇA ENTRE TEMA E TÍTULO.

O tema é o assunto sobre o qual você irá escrever, ou seja, a ideia que será defendida ao longo do texto. Por outro lado, o título é a expressão curta que é colocada no início do trabalho; ele é, na verdade, uma vaga referencia ao assunto que você abordará. Exemplos:

TÍTULO: As contradições na era da comunicação

TEMA:  Vivendo a era da comunicação, o homem contemporâneo está cada vez mais só.

COMO COMEÇAR - Imagine que você possua um determinado tema sobre o qual deve redigir um texto argumentativo. A sua primeira providência é reescrever o tema e perguntar: POR QUÊ? Ao iniciar sua reflexão sobre o tema proposto e sobre uma possível resposta para a questão, procure recordar-se do que já leu ou ouviu a respeito dele. É quase certo que você tenha ao menos uma noção de qualquer tema que lhe vier apresentado. O ideal para que seu texto explore suficientemente o assunto, é que você obtenha duas ou três “respostas” para a questão formulada; estas respostas chamam-se argumentos. Veremos um exemplo.

TEMA:  Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver graves problemas que preocupam a todos.

    Existem populações imersas em completa miséria.
POR QUÊ?

 A paz é interrompida por conflitos internacionais
                                                                           
 O meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico

SAIBA MAIS: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAgIagAG/apostila-dissertacao

Esquema de redação - Roginei

www.roginei.com.br/arquivos/esquemas.ppt  (Redação, Gramática, Literatura e Interpretação de Textos, de Emília Amaral).

 
 DISSERTAÇÃO ARGUMENTATIVA:

OS ESQUEMAS BÁSICOS DA DISSERTAÇÃO-ARGUMENTATIVA

http://oblogderedacao.blogspot.com.br/2012/03/dois-exemplos-de-textos-dissertativos.html

Basicamente, há duas estruturas ou esquemas dissertativos-argumentativos. Confira abaixo, com exemplos:

  TEMA OBJETIVO:

A QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE E NO CAMPO

É de conhecimento geral, embora refutada por alguns urbanoides, que a qualidade de vida nas regiões rurais é, em muitos aspectos, superior à da zona urbana. Isso se deve porque no campo inexiste a agitação das grandes metrópoles, há maiores possibilidades de se obterem alimentos adequados e, além do mais, as pessoas dispõem de maior tempo para estabelecer relações humanas mais profundas e duradouras.
Ninguém desconhece que o ritmo de trabalho de uma metrópole é intenso. O espírito de concorrência, a busca de se obter uma melhor colocação profissional, enfim, a conquista de novos espaços lança o habitante urbano em meio a um turbilhão de constantes solicitações. Esse ritmo excessivamente intenso torna a vida bastante agitada, ao contrário do que se poderia dizer sobre a vida dos moradores das pequenas cidades.
Além disso, nas áreas campestres há maior quantidade de alimentos saudáveis, com preços mais reduzidos e sem uso do agrotóxico. Em contrapartida, o homem da cidade costuma receber gêneros alimentícios colhidos antes do tempo de maturação, tratados com química necessária, para garantir maior duração durante o período de transporte e comercialização.
Ainda convém lembrar a maneira como as pessoas se relacionam no interior do Brasil. Ela se difere da convivência habitual estabelecida pelos habitantes metropolitanos. Os moradores das grandes cidades, pelos fatores já expostos, de pouco tempo dispõem para interagir em relacionamentos interpessoais mais profundos.
Em virtude de tudo o que foi mencionado, entende-se que o campo propicia uma maior qualidade de vida e tranquilidade para os seus habitantes. Só resta esperar que as dificuldades que afligem os habitantes metropolitanos não venham a se agravar com o passar do tempo.
 (Adaptado do livro Técnicas Básicas de Redação, de Branca Granatic)

TEMA SUBJETIVO:
O texto Aquilo por que vivi, de Bertrand Russel, revela uma estrutura que o vestibulando poderá usar em sua redação.

Leia o texto:

AQUILO POR QUE VIVI

Três paixões, simples, mas irresistivelmente fortes, governaram-me a vida: o anseio de amor, a busca do conhecimento e a dolorosa piedade pelo sofrimento da humanidade. Tais paixões, como grandes vendavais, impeliram-me para aqui e acolá, em curso, instável, por sobre o profundo oceano de angústia, chegando às raias do desespero.
Busquei, primeiro, o amor, porque ele produz êxtase – um êxtase tão grande que, não raro, eu sacrificava todo o resto da minha vida por umas poucas horas dessa alegria. Ambicionava-o, ainda, porque o amor nos liberta da solidão – essa solidão terrível através da qual nossa trêmula percepção observa, além dos limites do mundo, esse abismo frio e exânime. Busquei-o, finalmente, porque vi na união do amor, numa miniatura mística, algo que prefigurava a visão que os santos e os poetas imaginavam. Eis o que busquei e, embora isso possa parecer demasiado bom para a vida humana, foi isso que – afinal – encontrei.
Com paixão igual, busquei o conhecimento. Eu queria compreender o coração dos homens. Gostaria de saber por que cintilam as estrelas. E procurei apreender a força pitagórica pela qual o número permanece acima do fluxo dos acontecimentos. Um pouco disto, mas não muito, eu o consegui.
Amor e conhecimento, até ao ponto em que são possíveis, conduzem para o alto, rumo ao céu. Mas a piedade sempre me trazia de volta à terra. Ecos de gritos de dor ecoavam em meu coração. Crianças famintas, vítimas torturadas por opressores, velhos desvalidos a construir um fardo para seus filhos, e todo o mundo de solidão, pobreza e sofrimentos, convertem numa irrisão o que deveria ser a vida humana. Anseio por avaliar o mal, mas não posso, e também sofro.
Eis o que tem sido a minha vida. Tenho-a considerado digna de ser vivida e, de bom grado, tornaria a vivê-la, se me fosse dada tal oportunidade.
(Bertrand Russel, Autobiografia. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1967.)
   
 O texto, cujo tema está explícito no título – os motivos fundamentais da vida do autor – apresenta cinco parágrafos.

No primeiro parágrafo, o autor revela as suas “três paixões”:

a) amor;
b) conhecimento;
c) piedade.

Em seguida, dedica três parágrafos para cada uma dessas paixões. O segundo parágrafo fala sobre a busca do amor; terceiro, sobre a procura do conhecimento; e o quarto, sobre a importância do sentimento piedade diante do sofrimento. O quinto e último parágrafo realiza a conclusão do texto.
   
Eis o esquema:
 
1º§ - a, b, c;
2º§ - a;
3º§ - b;
4º§ - c;
5º§ - a, b, c.

(in: Novas Palavras, de Emília Amaral e outros, editora FTD-1997)

______________

São quatro aspectos ou critérios que quaisquer bancas examinadoras de Vestibulares, ENEM e Concurso corrigem as redações:

http://oblogderedacao.blogspot.com.br/2012/04/criterios-gerais-para-correcao-de.html

1. Aspecto Estético (tem caráter obrigatório, por se tratar de um documento, de um texto formal. Não se ganha ponto pelo acerto, só desconta!)

·        Nunca rasure ou borre;
·        Sobreposições;
·        Margens regulares;
·        Paragrafação bem feita;
·        Local do título;
·        Observe a quantidade de linhas solicitadas na prova;
·        Legibilidade (Cuidado! Só este aspecto estético pode eliminar o seu texto).

2. Aspecto Gramatical (todo o componente responsável pela expressão, as regras, as características formais da língua)

·        Faça a concordância e a flexão correta dos tempos verbais;
·        Não fragmente a frase, separando o sujeito do predicado;
·        Cuidado com a separação silábica;
·        Cuidado com a pontuação, acentuação e ortografia;
·        Use corretamente os pronomes;
·        Eco textual;
·        Termos coloquiais;
·        Emprego equivocado do gerúndio.

3. Aspecto Estilístico (Maneira, estilo, jeito que cada um escreve. Pode-se pedir o mesmo tema para milhares de estudantes e cada um fará o seu próprio texto!)

·        Evite repetição de palavras;
·        Não escreva períodos muito curtos (que travam o texto) nem muito longos (que possibilitam o erro);
·        Cuidado com o abuso do “e”, “mas”, “que”, “pois”;
·        Não seja prolixo;
·        Marcas da Oralidade;
·        Cuidado com o internetês ou com siglas;
·        Uso inadequado do “onde”;
·        Uso de palavras desnecessárias ou ideias repetidas.

4. Aspecto Estrutural (Critérios mais valiosos, desconta e elimina em quase todos eles)
·        Observe a estrutura solicitada;
·        Organização das ideias;
·        Não fuja do tema proposto;
·        Não faça os parágrafos/ideias incompletos, ingênuos, intimistas, racistas, etc.;
·        Não escreva em verso ou a lápis;
·        Informatividade conta muito ponto;
·        A originalidade é fundamental;
·        Cuidado com a coerência e coesão, regras de ouro na dissertação.
________________________
PARA REFLEXÃO:

A ÉTICA NO TEMPO DO ESPETÁCULO, EM:

file:///C:/Users/JOSE/Downloads/prova%20de%20reda%C3%83%C2%A7%C3%83%C2%A3o%20(1).pdf

O autor critica a sociedade do espetáculo que nos reduzem a condição de meros detonadores de risos e choros ou de uma cena de circo e de consumo em prol de um momento de curtição apenas. O problema é que tal sociedade se torna centrada no lucro, no hedonismo, na hipocrisia, no luxo, no descartável, na superficialidade das relações humanas. O ser humano e qualquer coisa e animal, planta e outros objetos se tornam esvaziados de sentido, apenas vêm à tona em função de outro fim: gerar luxo, lucro, prazer, etc. Vale tudo: o ser humano e as coisas se confundem em meros pontos de troca e mercadoria.
Nesse contexto, infelizmente, a ética é substituída por relações de interesse e troca. Tudo se torna preso ao relativismo ético ou étnico. Nada vale por si, mas em função de seu pragmatismo ou funcionalismo. É perda de tempo se relacionar e conhecer o outro. Cada um é reduzido a uma mero ator social e não mais sujeitos, dotados de uma história e identidade. Todos fazem parte de uma massa em que uns se divertem à custa de outros que trabalham e lutam. Subestima a capacidade de sentir e refletir das pessoas – agora vistas como autômatos e cobaias da feitura e ideologia de partidos, mercados e até igrejas.

comentário de J B PEREIRA
J B Pereira e https://www.youtube.com/watch?v=1HoiSaLlxig
Enviado por J B Pereira em 16/02/2015
Reeditado em 20/02/2015
Código do texto: T5139437
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2269 textos (1218636 leituras)
14 e-livros (85 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/10/19 14:44)
J B Pereira