Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

soneto de Florbela Espanca, modernismo português

O mundo quer-me mal porque ninguém
Tem asas como eu tenho! Porque Deus
Me fez nascer Princesa entre plebeus
Numa torre de orgulho e de desdém.

Porque o meu Reino fica para além...
Porque trago no olhar os vastos céus
E os oiros e clarões são todos meus!
Porque eu sou Eu e porque Eu sou Alguém!

O mundo? O que é o mundo, ó meu Amor?
- O jardim dos meus versos todo em flor...
A seara dos teus beijos, pão bendito...

Meus êxtases, meus sonhos, meus cansaços...
- São teus braços dentro dos meus braços,
Via Láctea fechando o Infinito.



Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news03/article.php?storyid=134#ixzz2f0Cje0FY
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives
http://www.luso-poemas.net/modules/news03/article.php?storyid=134
Enviado por J B Pereira em 15/09/2013
Código do texto: T4483042
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2301 textos (1289231 leituras)
14 e-livros (91 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/19 15:41)
J B Pereira