Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEMÓRIAS DE EDINEUZA

MEMÓRIAS DE EDINEUZA CARNEIRO DE PAIVA

                              Por Marinalva Almada, familiares, amigos e amigas.

Nasceu no dia 15 de agosto de 1965, em Santo Antônio dos Lopes, no Maranhão.
Filha de Acácio e de Nazira Jorge Carneiro
Casada com Aluízio, teve 2  filhos e 1 netinha.
Edineuza era uma mulher forte, dedicada à família e ao trabalho.
Há alguns anos lutou e venceu uma grande batalha com seu filho Júnior.
Era uma mulher que vivia o presente. Era muito festiva, alegre.
Era muito responsável e organizada com as obrigações da escola.
Gostava de mesa farta, cozinhava muito bem. Recordo-me que sempre fazia a confraternização na churrascaria Avenida , ela sempre levava um peru assado no forno, uma delícia!
Gostava muito de dirigir.
Fã incondicional de Roberto Carlos.
Era uma pessoa muito religiosa e devota fiel de Nossa senhora.
Gostava demais quando eu lia para as crianças na biblioteca ou na sala de aula.
Era uma amante das artes, além de ser uma artista nata: desenhava, pintava, enfeitava a escola em datas comemorativas.

Da super amiga Salete Gonçalves
Edineuza,
Mulher especial, que partiu cedo demais. Nossa querida Edineuza cumpriu sua missão, viveu sua vida plena e feliz.
Mulher forte, corajosa, determinada, sempre preocupada com o próximo. Nos momentos mais difíceis sempre esteve presente.
Foi um exemplo de profissionalismo, determinação. Amava o que fazia, tinha cuidado pela escola, ela amava a escola Paulo Freire, era a sua segunda casa.
Era uma mulher de muita fé.
Foi eleita em 2010, juntamente com Salete Gonçalves, em 2011 tomaram posse.  Ficou 10 anos como diretora geral da escola.
Aprendi muito ao seu lado, vou levar pro resto da vida.
Sua memória ficará eternamente gravada em nossos corações e na nossa mente.
tive a sorte de tê-la como companheira e amiga de poder compartilhar de sua história, de sua vida, das lembranças, de dias e anos felizes.
Agradecemos a você Edineuza, tudo que você fez por esta escola e por esta comunidade.

Da irmã França

O que falar de EDNEUZA?

Minha irmã querida;
Minha mana adorada;
Minha única e verdadeira amiga.
Nunca nos chamamos pelo nome e simplesmente MANA nome doce que eu jamais pronunciarei
Minha mana sabia que podia contar comigo pra tudo como eu sempre contei com ela na vida.
Ela  me deu os bens mais preciosos do mundo 2 filhos de coração Aluízio Júnior e Alana Gabriela são minha vida.
Enfim, a pessoa mais alegre, divertida, amiga, doce, que já conheci na vida, sempre de bem com a vida, amou muito, foi muito e será pra sempre amada por todos.


Do irmão Pr. Anax Carneiro

Falar de minha irmã Edineuza é, ao mesmo tempo, fácil e difícil. Fácil porque ela foi uma pessoa maravilhosa, possuidora de inúmeras virtudes e qualidades. E é difícil porque a saudade é grande demais, sempre querendo se manifestar por meio de muitas lágrimas.
Esse esforço de suas amigas para preservar sua memória é mais uma prova do quanto minha irmã foi uma pessoa especial. Digo irmã, mas poderia também chamá-la de mãe, tamanho o cuidado que ela tinha por mim e por minha família. Tivemos, no último Natal, um momento tão especial juntos, sem saber que era a nossa despedida. Foi uma despedida e tanto.

Poderia falar muito sobre a Edineuza, mas quando lembro dela, a primeira lembrança que tenho é a de sua luta para salvar o seu filho Júnior, acometido de leucemia bem no início de sua adolescência. Vi, naquelas quatro anos difíceis, o quanto minha irmã era guerreira. Nenhum obstáculo foi grande demais para ela. Nenhum desafio foi difícil. Ao lado de sua Mana, a Fanca, ela lutou bravamente para ter o seu filho vivo e com saúde.
E, como sabemos, ela conseguiu. Deus foi tão generoso com a Edineuza nessa luta, que ainda deu para ela uma netinha como fruto do casamento do seu Júnior com a Lane.
Poderia falar também de sua luta para formar a Alana, a sua doutora, mas sei que a Alana irá relatar.
Assim, só me resta louvar a Deus pela irmã que tive. Digo, sem medo de errar, que ela foi simplesmente demais. Vou amá-la para sempre.
*De um irmão que sente uma enorme saudade diária*
                                                             Pr. Anax Carneiro



Da Tia Saíde

Não tenho palavras pra descrever essa sobrinha e filha do coração. Uma pessoa maravilhosa sempre pronta pra ajudar qualquer um da família que precisasse; nas festas da família era a mais animada, sempre podia contar com ela.
Hoje só saudades e boas lembranças dela e jamais iremos esquecer, porque ela estará sempre presente nos nossos corações.




Da Prima Luzinete Morais
Qualidades da Edineuza

Edineuza era muito amiga, companheira , alegre, onde ela estava era só alegria.
Eu sempre fui muito bem recebida na casa dela, tratava as pessoas com carinho, cuidava muito bem do pai dela. tratava muito bem os irmãos dela,  era uma esposa muito cuidadosa, era uma mulher devota de nossa senhora, pra mim ela não tinha defeito, me ajudou muito no meu tratamento de câncer, me deu força, uma fala que ela sempre dizia:   “o importante  era ser feliz".


Da prima Josemeiry Carneiro

Lembrarei dela sempre como uma pessoa amiga, preocupada com o próximo.
Edineuza nos deixou um legado de generosidade, amor e de um ser humano grandioso.
Manter sua memória viva é lembrar dos momentos bons que compartilhamos juntas.
A sua lembrança ficará para sempre guardada no meu coração.
De sua Meiroca.


De Roseana Rocha Amaral

Edineuza Foi para mim uma amiga dedicada em duas ocasiões  difíceis  em minha vida, sempre presente com suas palavras de encorajamento e fé. Não media esforços para ajudar as pessoas, sem falar que era uma bela anfitriã, estar na casa dela era como estar  em casa.
Na minha visão ela era uma  amiga fiel e companheira, uma mãe amorosa, esposa dedicada e uma tia presente. Gostava de se reunir com a família  e amigos para tomar aquela gelada, mas também detestava ser esquecida, isso a deixava magoada e muito chateada.
Dona de frases engraçadas  como: vamos começar, vamos encarcar.
Edineuza era alegre, divertida, espontânea e de uma autoestima de dar inveja. Tive o imenso prazer de passar o Natal de 2020 junto com ela... simplesmente perfeito.
Essa era para mim a inesquecível  Edineuza Carneiro de Paiva.


Da sobrinha Tereza

Quem teve o privilégio de conhecer e conviver com a tia Edineuza sabe que palavras nunca serão suficientes para falar sobre essa mulher guerreira, alegre, carinhosa e cuidadosa que ela foi.
Minha tia que foi uma mãe para mim, minha amiga, minha confidente... tínhamos os nossos segredinhos, como ela dizia.
Eu via a alegria no seu olhar quando falavam que seu jeito era parecido com o meu; sempre de bem com a vida, adorava uma foto e tínhamos óculos parecidos. Eu amava combinar com ela. Amava ficar conversando, trocando mensagem, viajando e tirando as fotos dela. Coisas simples que me fazem e irão continuar fazendo uma falta absurda.
Gostaria de evidenciar que eu nunca conheci alguém igual a ela, o modo dela viver era único, o carinho que me dava, a preocupação que tinha comigo eu levarei para o resto da minha vida!
Eu jamais esquecerei da tia que eu tive. O nosso amor sempre viverá!
O que mais me dói é saber que ela, uma das pessoas que sonhava comigo, não estará presente fisicamente em momentos especiais da minha vida. Sempre vai faltar uma parte.
Depois que ela foi morar no céu nada mais será completo.
Eu te amo, minha tia. Continuarei te amando, honrando seu nome, dedicando as minhas conquistas para sempre a você!
Era meu anjo aqui na terra e agora é meu anjo no céu. Sei que está torcendo por mim!
Com amor e muita saudade...
Da sua linda Tereza (como me chamava).


Da tia Rivany

Olá! Eu sou Rivany. e com muita saudade direi alguma coisa sobre Edineuza Carneiro de Paiva. Ela foi e continua sendo uma estrela que brilha eternamente, um brilho de paz e alegria que irradiou muita gente aqui na Terra.
Seu jeito simples de ser constituiu um ciclo invejável de amigos.
Edineuza  foi uma mulher guerreira que edificou uma família baseada no amor, na fé e na justiça. Teve uma vida de luta e trabalho ao lado de seu esposo e seus dois filhos que choram sua falta, porém lembram com orgulho da mulher: bondosa, determinada e de uma maneira digna e especial de ser: esposa, mãe, filha irmã e amiga.
Por isso todos lamentam sua partida lembrando os momentos alegres partilhados com ela que foi um grande exemplo de fé, haja visto o que demonstrou quando seu filho estava doente, ela sempre orava a Deus sem nunca perder a esperança.
Portanto hoje com certeza está no céu, ao lado do Deus da Vida, recebendo as honras de uma verdadeira cristã. Edineuza,  Estrela!!!!
Vai brilhar sempre para todos.


Da tia Almira

Inesquecível pela sua alegria, doçura no falar, também muito emotiva.
Sempre que ia lá em casa em Capinzal chorava muito ao ver a foto da mãe dela em minha parede.
Era muito hospitaleira, pois sempre que ia a Caxias, almoçava na casa dela, em sua companhia.
Sempre tinha mil histórias para contar, sempre sorrindo.
Essa foi, é e sempre será a nossa Edineuza.



Da cunhada Rosangela Carneiro

Ter a Edineuza como cunhada e amiga foi um dos muitos privilégios que Deus me concedeu nessa vida. Éramos amigas, nós nos gostávamos demais.
Ela era muito presente em minha vida. Ultimamente, nos falávamos muito por áudios e mensagens via Whatsapp.
Ela aprendeu comigo um novo passatempo: fazer crochê. Antes, ela já havia aprendido a pintar comigo. Chegou a pintar vários quadros. Ela dizia que eu era sua inspiração. Assim, além de cunhada, amiga, confidente, tornei-me sua professora.
Sempre que fazia um tapete de crochê, me mandava uma foto, seguida por um áudio com a pergunta: "O que achou, Professora? " E eu dizia: "Está lindo, mas só que...está errado. Você vai ter que desmanchar". Ela, com a sua alegria característica, retrucava: "Pois vou deixar assim mesmo. O próximo eu farei direito". Se eu insistisse para ela desmanchar, ela dizia: "Ó dor".
Assim, nossa amizade só cresceu e se fortaleceu.
Sinto tanta saudades do jeitinho dela que lembro até do seu palavrão preferido (quem ouviu, não esqueceu). Eita, cunhada, como sinto a sua falta!
Quando lembro que você partiu, fico triste demais.
Você foi, e será sempre, tão especial para a minha família.
Nunca falamos um eu te amo uma para a outra, mas era fácil ver que nos amávamos.
Fomos amigas por 22 anos e nunca ficamos chateadas uma com a outra. Seus vestidos estão aqui comigo. Alguns você me deu. Outros, agora confesso, peguei emprestado kkkkk
Nossos últimos encontros foram maravilhosos. Uma verdadeira despedida no seu Alto Novo. Vou lembrar de você para sempre.
Com amor, de sua cunhada, ou como você chamava, sua agregada, Rosângela Carneiro


Da Professora amiga Zenaide

Em questão  de um de seus maiores apegos, o trabalho, Edineuza sempre foi positiva em busca de melhores dias para a educação,  compreensiva sempre, instigava uma segunda, uma terceira  opinião  antes de tomar qualquer atitude mais enérgica.
Às vezes  em sua casa batia à sua porta algum funcionário pedindo que fosse  à  escola, ela ia em busca de melhores soluções  para determinado problema que ora surgia.
Para mim, foi uma pessoa empática, amiga.
Sempre será uma de  minhas saudades!


Da professora amiga Ytacíria

Ela sempre nos ajudou muito. Todo ano lutava para que nós voltássemos à escola.
Sempre nos encorajou a lutarmos e a nunca desistirmos quando as atividades não estavam dando certo.
Ela dizia assim: " Vamos Ytacíria, tenha fé. Cadê sua fé mulher?  Vai dar certo sim. Isso me encorajava a continuar.
Que Deus em sua infinita misericórdia a tenha num bom lugar.

No dia 18 de março de 2021, partiu desta vida e foi morar no céu,  com  55 anos completos,  por complicações em decorrência da COVID -19.

Marinalva Almada
Enviado por Marinalva Almada em 18/04/2021
Reeditado em 21/04/2021
Código do texto: T7234961
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Marinalva Almada
Caxias - Maranhão - Brasil
351 textos (7835 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/05/21 06:58)
Marinalva Almada