Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(José de Alencar (1829-1877) foi romancista, dramaturgo, jornalista, advogado e político brasileiro. Foi um dos maiores representantes da corrente literária indianista brasileira.[...] Famoso a ponto de ser aclamado por Machado de Assis como "o chefe da literatura nacional"... ( fonte:  http://blogdavalce.blogspot.com.br/-2012/05/messejana-ce-1-de-maio-de-1829-nascia-o.html )
 
 
  HOMENAGEM AO DIA DO ESCRITOR
 
         Escolhi a imagem de José de Alencar para representar todos os escritores porque na verdade além de imortal ele foi minha primeira paixão em minha trajetória de leitora e escritora( se puder ser chamada assim já que amo escrever e ando arrumando minhas palavras de alguma forma e percebo que de alguma forma elas são sentidas pro vocês.
         Disse um dia, Ignácio de Loyola Brandão que “o papel do escritor no Brasil, ou no mundo, ou na lua é escrever. Nada mais do que isso. Escrever. O escritor não tem missões, não tem mensagens, não tem funções".
           E eu que diria do escritor? Talvez o que simplesmente tenha descoberto involuntariamente desde que aprendi minhas primeiras letras: que o escritor arruma as palavras de um jeito que só ele sabe. Seja em forma de poesia, crônica, contos, artigos, resenhas, mensagens... O que for... O que importa é que ele deixa lá suas impressões. Implícitas ou explícitas...
           Além disso, penso que escrever é viajar. Em mundos... Cosmos... Universos... O escritor tem esse dom especial e ainda penetra almas, pensamentos... Faz de sussurros palavras que ganham vida e forma numa folha qualquer... E o mais lindo é que as palavras são escritas de uma forma diferente. Cada fonema é sentido... Cada palavra nasce como nascem as vidas.
           Também descobri isso andando quilômetros rumo à minha escolinha rural levando apenas um caderno de vinte folhas, um lápis e uma borracha numa capanga de retalhos. Também descobri isso folheando velhos jornais que meu pai trazia da cidade embrulhando coisas. Eu já queria decifrar aqueles símbolos mágicos que diziam coisas e, de tanto querer, em um mágico dia li um trecho grande de palavras miúdas. Foi de fato um mistério, pois eu mal estava aprendendo o ABC. Então descobri a magia encantada de ler e escrever. Uma descoberta mágica que até hoje me acompanha. O recanto tem dessa magia que eu preciso para respirar e viver e me sinto feliz aqui junto de meus amigos escritores.
            De qualquer forma, e apesar de querer tentar explicar, o fato é que não tem explicação a magia da escrita e o escritor arruma as palavras de um jeito que não é fácil descrever... Então melhor escrever... O amor, a saudade, as lembranças, os sorrisos, as mágoas, os protestos... Tantas coisas...
        

Nesse dia do escritor, quero desejar abraçar a todos meus amigos escritores do recanto e dizer que continuem escrevendo... Arrumando palavras... Pois elas de alguma forma precisam ser sentidas. 

 
 
Na dor, na tristeza, na saudade,
O escritor desenha sua arte
Poemas, histórias,sua liberdade...
Cria asas, seu universo se parte...
Sonia de Fátima Machado Silva
Enviado por Sonia de Fátima Machado Silva em 25/07/2012
Reeditado em 25/07/2012
Código do texto: T3796452
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sonia de Fátima Machado Silva
Coromandel - Minas Gerais - Brasil, 57 anos
1340 textos (58301 leituras)
13 áudios (689 audições)
2 e-livros (150 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/04/21 06:30)
Sonia de Fátima Machado Silva

Site do Escritor