Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O peba que se acha pavão

O tatupeba (mais conhecido em minha terra por peba simplesmente) possui coloração amarronzada. Sua carapaça contém poucos pelos. Com seis ou oito cintas de placas móveis, a cabeça é achatada em formato cônico. Trata-se de bicho rasteiro. Porém, não raras vezes, aparece em árvores. Quem o colocou lá? Só Deus sabe!

Aqui acolá, dialoga com a formiga. Esta - sempre ocupada - possui rotinas, horários e trabalhos a cumprir. Ele, por outro lado, permanece na toca durante o dia, saindo à noite em busca de alimento.

O problema é que a formiga gosta de trabalhar. No auge da concentração, chega o peba e diz compassadamente para ganhar tempo - já que não dispõe de conteúdo teórico ou prático que viabilize uma discussão:

-"Oh formiga, tudo bem?"

Esta nem consegue responder e o peba mesmo responde:

-"Tá tudo bem. E tudo fica bem. E tudo se resolve…"

Peba faz questão de dizer o nome, sobrenome e apelido da angustiada formiga.

E o tempo passa nesse monólogo absolutamente irrelevante. Meio sem assunto, peba começa a fofocar. O assunto é quase sempre o mesmo: falar mal do escorpião que, na verdade, é um rato! O pior: pensa que o carcará é grande amigo. Formiga tenta se livrar de tudo isso, sem êxito.

E o peba é vaidoso. Não tem o mínimo senso do ridículo. Vive do seu passado. De haver sido colocado em árvore. Inclusive, orgulha-se do fato. Não é, contudo, de índole má.

O problema não é exatamente o fato de o peba ter sido colocado em árvore, mas os dogmas “consensuados” as condutas supostamente irrefutáveis, os preconceitos postos no topo das árvores. A (ousada) pergunta que não quer calar: não há vivente com coragem para retirar esse tipo de bicho das copas?

Do livro: PRINCÍPIO DO FIM.

@engenhodeletras
Professora Ana Paula
Enviado por Professora Ana Paula em 04/10/2019
Código do texto: T6760976
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Professora Ana Paula
Fortaleza - Ceará - Brasil, 47 anos
48 textos (1097 leituras)
21 áudios (527 audições)
2 e-livros (74 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/19 01:21)
Professora Ana Paula