Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Nova entrevista com Ansilgus – 23.03.2016
 
NOVA ENTREVISTA COM Ansilgus – 23.03.2016
 
 
Prosseguindo, já que o meu pai ainda não está em condições de escrever e de entrar na Internet, resolvi entrevistá-lo novamente, pois suas opiniões por vezes servem até mesmo de alerta àqueles que o leem por esse mundo afora. De antemão quero dizer que ele está agradecido por todas as leituras e comentários oriundos de seus admiradores, mandando um abraço fraternal de consideração e apreço.
 
Sandragus: Depois que a Lava-Jato desbaratou praticamente toda a sistemática de pagamento de propinas do Grupo Odebrecht, eis que decidem fazer delações premiadas, porém com um nome diferente, tal como “informações definitivas” ou um parecido. O que o senhor pensa disso?
 
Ansilgus: A meu pensar, salvo melhor juízo ou considerações de pessoas mais abalizadas, o aparato da Lava-Jato não deveria aceitar, de maneira alguma, tais informações, porquanto parece que as investigações contra o potente grupo e seus dirigentes estão praticamente encerradas, pouco havendo a acrescentar em desfavor deles mesmos; dizer o que já se sabe ou pouco a acrescentar, isso em troca da redução das penas não me parece oportuno e nem necessário. Agora, se de fato forem informações bombásticas de primeira mão então as coisas mudam de figura, mas não acredito nisso. Quem parte por último chega em desvantagem. Tiveram muito tempo para isso, mas limitaram-se a dizer durante todo o processo que nada tinham a comentar, que estavam contribuindo com as autoridades e investigações, e coisas tais. Por exemplo, se querem dizer que deram dinheiro ao Aécio isso já é do conhecimento até do povo, praticamente não serve. Aliás, tanto esse como outros políticos investigados deveriam ter pedido licença de seus mandados, a fim de facilitar as apurações, mas no Brasil não tem disso não. Há uma senadora pelo PT-PR, Gleisi Helena Hoffmann, incondicional do governo, que fala todos os dias as mesmas balelas de sempre: Que o Lula fez isso fez aquilo e aquilo outro, etc. Mas aqui não está em jogo o que ele fez como presidente e sim o que ele fez de errado, já que fazer o certo é obrigação de todos. Isso é constrangedor para um velho como eu, que paga R$ 600 reais por mês à Net para ouvir tanta besteira. Aliás, também ela deveria ter solicitado licença, porquanto é citada como integrante dos que receberam propina de hum milhão de reais.
 
Sandragus: Também penso assim, em parte. Mas o que acha o senhor sobre os recursos do Lula não providos pelos Ministros Luiz Fux, Rosa Weber e Gilmar Mendes?
 
Ansilgus: Não restavam dúvidas de que isso ocorreria. É necessário que se saiba que ministros são pessoas como todos nós, têm problemas idênticos, são normais fora das funções, sentem as mesmas necessidades fisiológicas, assim como têm as suas preferências por políticos desse ou daquele partido. Claro que devem agir com total isenção, mas isso é humanamente impossível, pois só mesmo Deus tinha esse poder supremo de não pecar, e esse apelido de supremo dado ao tribunal é apenas criação do homem. Supremo coisa nenhuma! O mais que poderiam ser era membros de um poder que julgasse apenas os casos de inconstitucionalidade, deixando os problemas políticos com o poder legislativo, os policiais com a polícia e os juízes competentes, até por que não tem estrutura para suportar tamanha quantidade de ações. Sendo eu presidente do STF não teria aceitado a primeira ação contra o rito escolhido pela Câmara para julgar o pedido de impedimento da Presidente da República, devolvendo-o de imediato. Aliás, existe uma máxima que diz: "Cabeça de Juiz é feito bunda de menino novo, ninguém sabe o que vai e quando sair".
 
Sandragus: Mas o Juiz Moro extrapolou em suas prerrogativas?
 
Ansilgus: Não penso assim. As escutas telefônicas estavam autorizadas, o Procurador Geral da Repúbica sabia disso. Aliás, é bom pensar que o próprio Lula tinha conhecimento, porquanto seu advogado é experiente, não é nenhum menino. Há quem diga que o Lula carregou nos adjetivos de propósito para causar um racha nessa operação Lava-Jato e na atuação do Doutor Moro. Na conversa com a doutora Dilma ele foi além das expectativas, provocando que as palavras dela também fossem gravadas, justamente com o propósito de tentar incutir na mente dos que não entendem do assunto que a presidente fora “grampeada”. Pode até ter sido uma jogada de mestre, mas não creio nisso, todavia provocou um reboliço tão grande no país, que chegou a convencer muitos leigos de que realmente houve o grampo ilegal. Na verdade, o telefome fisgado foi o de um segurança do Lula, e quem ligou pra ele teve sua fala gravada, evidentemente. Há um provérbio antigo que diz: “Quem com porco se mistura, farelo come”. Não que o Lula seja algum suíno, até mesmo porque já disse que era uma jararaca. Antes era um simples “molusco”.
 
Sandragus: Penso que o senhor entrou de sola nessa resposta, mas o senhor é de maioridade e deve saber o que fala. Mas o que me diz da recente decisão do Ministro Teori Zavascki, invocando o processo para o STF, porém mantendo a decisão sobre a invalidação da posse do Lula na Casa Civil?
 
Ansilgus: Intempestiva, porquanto se a matéria já havia sido decidida por três membros da Corte (Fux, Gilmar e Rosa), caberia a esse cidadão, que é um grande conhecedor de direito, deixar que o assunto fosse resolvido pelo colegiado. Mas como o pleno vai passar o resto da semana em casa, sem dar expediente, gozando das delícias da Semana Santa, decidiu, antes dessas pequenas férias, “melar” as peças jurídicas da lavra desses três colegas de tribunal. . Há muita gente de sobrenome Silva e outros menos expressivos que têm conhecimento bastante para exercer tais cargos com muita competência. Esse Excelentíssimo Ministro me parece ser inegavelmente favorável ao governo, isso sem qualquer crítica, pois como já disse não existe ninguém no mundo que não tenha suas preferências. Aliás, é bom dizer que o Lula está desenvolvendo de modo extraoficial às funções de Chefe da Casa Civil, disso ninguém tem dúvidas, e o doutor Moro perdeu a única chance que teve de mandar prendê-lo. Mas é bom que se diga que a presidente cometeu um ato ilegal no momento em que transformou o Jaques Wagner em Chefe de seu gabinete com o status de ministro, numa aberração que é contra a lei e a constituição, merecendo, assim, a devida contestação, é uma imoralidade administrativa.
 
Sandragus: E sobre o novo Ministro da Justiça, o que me diz?
 
Ansilgus: Grosseiro, espécie de ditador, dos piores que já vi. Como é que uma pessoa que ganha o nosso dinheiro como Procurador da República pode ter uma cabeça dessas, cheia de ódio, vingança e tudo o que não se deve praticar?! Dizer que basta cheirar sobre os vazamentos para mudar toda a equipe da operação Lava-Jato, num flagrante desrespeito ao povo brasileiro e numa aberração para ferir de morte a maior investigação levada a efeito neste país. Não tem condições nem de ser Ministro nem mesmo de ser funcionário público, merecendo ser demitido imediatamente. Aliás, provocado, o STJ já lhe concedera 72 horas para se pronunciar a propósito da ameaça que fez à Polícia Federal.
 
Sandragus: Bem meu pai, vou parando por aqui, pois o senhor está com a metralhadora ligada, e se eu deixar...
 
Ansilgus: É bom mesmo, um beijo., mas continuo dizento que não vai haver o impedimento da Dilma.
 
Sandragus
 
 
 
Sandragus
Enviado por ansilgus em 23/03/2016
Reeditado em 25/03/2016
Código do texto: T5582576
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ansilgus
Recife - Pernambuco - Brasil
1655 textos (334172 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 07:35)
ansilgus