Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALBERGUES em Floripa - SC

Hoje eu tenho uma missão bem maneira e “perigosa” para fazer, pois como foi a minha primeira experiência sobre o assunto que trarei a seguir, posso receber críticas.
Sempre ouvi falar de Albergues/Hostels, mas só o que vejo na TV. Confesso que tive curiosidades em conhecer a “vibe” de como é dividir quartos com galera do mundo todo, porém tudo fica mais claro quando a gente passa de telespectador a ator da peça.
Tive oportunidade de me hospedar recentemente no Way2Go! Hostel em Floripa – SC, e como dizem por ai, “a primeira vez é sempre inesquecível”. E foi!
Não sei dizer se foi sorte ou se foi à competência da administradora por cuidar tão bem daquele casarão em que me senti em casa.
Fiz uma entrevista breve com Roberta Bolzani e achei digno de dividir com vocês a minha experiência, a dela, e aproveitar para deixar um convite a todos Introspectors!

Conta para gente Roberta, há quanto tempo existe este Hostel?
Roberta: O Way2Go foi fundado no dia 11 de fevereiro de 2010. Há três anos e meio praticamente.

E como foi criar este espaço?
Roberta:  Foi bacana. Na verdade foi tudo muito rápido. Meu irmão comprou a casa no final de janeiro e nós tínhamos duas semanas para iniciarmos e ainda queríamos aproveitar aquele verão porque era a semana de carnaval, então a gente queria estar aberto na sexta-feira de carnaval para ver se conseguíamos um pessoal bacana, e aproveitamos esse público que não tinha reserva, que aparece do nada, então fizemos um precinho bacana para o pessoal que achávamos pelas ruas para eles ficarem, e foram assim nossos primeiros hóspedes.

E antes de administrar o Hostel, em que você trabalhava?
Roberta: Eu trabalhava no financeiro de uma empresa de engenharia há muitos anos atrás. Foi meu ultimo emprego aqui no Brasil. E não tinha nada a ver comigo, obviamente, ficar trancada num escritório com números e afins. Não era para mim. Então eu fui tentar a vida em Londres, e como eu não tinha um inglês muito bom, meu primeiro emprego foi como camareira. E foi ai que tudo começou. Eu comecei de baixo e fiz de tudo. Esse foi meu primeiro contato com hotelaria. Descobri minha paixão: receber pessoas.

Conta para nós como é a concorrência aqui? Por que assim, eu gostei muito de cara, até falei para você. Vou trazer gente aqui, vou indicar, porque esse seu jeito descolado de interagir com a galera faz com que a gente se sinta em casa e queira voltar sempre. Isso é um plus!
Roberta: Ah obrigada! Rs. Mas então, a concorrência tem crescido e muito. Quando abrimos em fevereiro de 2010, existiam sete antes da gente, e agora acho que são mais de quarenta. Assim, eu acho que diminui um pouco para nós, mas meu público sempre volta. 98% das pessoas que estiveram aqui e retornam a Florianópolis voltam para cá, então o difícil para mim é conquistar quem está vindo, é quem ainda não veio, é que não conhece o Way2go!, porque você fica perdido numa lista imensa de opções e você não sabe o que escolher às vezes. Eu vejo pessoas que estão abrindo Hostels em casas velhas, colocando um monte de cama lá dentro e fazendo a 10, 15 reais, dizendo que é Hostel. E isso me prejudica no sentido de que se você nunca foi a um Hostel,  você tem uma péssima primeira experiência,  e você fica lá, você não vai querer ficar mais em Albergues, porque vai achar que aquilo ali é um Hostel, mas não é. Contudo, aqueles que estão abrindo com qualidade, pagando funcionários, impostos, tudo certinho, eles vão fazer as coisas bem feitinhas e vão conquistar as pessoas. Então se você vai para um Hostel legal e na próxima vez que vier não houver vaga lá, você vai procurar um outro Hostel , mas se você já odiou o primeiro, você não vai querer mais ficar em Albergues, e isso me preocupa. Se eu pudesse fechar Hostels, eu fecharia aqueles que estão denegrindo a imagem da nossa classe, pois atrapalha quem quer trabalhar com qualidade. A gente quer oferecer o mesmo que um hotel oferece, a diferença é que você divide quarto e paga menos por isso, e você tem praticamente todos os mesmos serviços. A gente consegue vender passagens, ter serviços de limpeza, servir um café da manha gostoso. Nossa casa está reformada, com colchões novinhos, estamos reinvestindo nas camas, enfim, todo ano a gente faz um reinvestimento, uma pintura, limpeza é tudo!! Além do mais, há o quesito segurança, do qual muitos se esquecem. Todo Hostel deve ter alvará da vigilância sanitária, e alvará de bombeiros. Estamos regulares e temos todas as certificações. Nós genuinamente nos preocupamos não só com o bem-estar, mas também com a segurança daqueles que recebemos.

É por isso que as pessoas voltam!
Roberta: Exatamente. Porque Hostel é um meio de hospedagem simples e barato, mas com qualidade!!! Por isso que fico chateada com as pessoas que não trabalham direito, porque eu perco um hospede em potencial. Porque ele se hospeda em um lugar sujo, onde não há um serviço de recepção ou de atendimento decente. Ele fica jogado em uma casa enorme com mais de 500 pessoas sem nem ter o banheiro limpo. Ele nunca mais se hospedará em outro Hostel se aquela for sua primeira experiência.

Traumatiza, é verdade. Rs.
Roberta: Sim! Rs.

Você comentou que pensa em expandir os negócios. Conta para nós sobre a ideia da franquia.
Roberta: Assim, a gente teve muita sorte quando abrimos, mas não é fácil. E como a gente já está no mercado há algum tempo e entendemos mais ou menos o quê que o hospede quer, inclusive, no primeiro ano eu perguntava muito para as pessoas o que elas estavam achando, o que elas queriam. É claro que nunca vamos conseguir agradar todo mundo, mas a gente entende mais ou menos o que eles procuram, e é isso que queremos oferecer. Às vezes uma pessoa paga cinco reais a mais para ter um lençol como o nosso, que é um percal 180, 200, que está limpinho, cheiroso, está passado, bonitinho, enfim, é um conforto por um pouco mais, e tem gente que paga mais barato mas não tem esse conforto, não tem café da manha, então a gente meio que aprendeu a fazer isso e queremos agora ajudar aos outros que querem abrir o seu próprio negocio.

E eles levariam o mesmo nome?
Roberta: Sim, levariam. E a gente vai dar todo o auxilio de marketing, o site seria junto com o nosso, as reservas são feitas pela central, a gente só encaminharia, quero dizer, a gente tem toda uma facilidade. Treinaríamos os funcionários, até mesmo o gerente, tudo no padrão Way2Go. Não queremos que usem só o uniforme. Seria uma qualidade padrão.

Uma curiosidade minha. Como você seleciona as pessoas que ficarão hospedadas aqui? Por que você pega os pedidos pelo site e você não sabe o perfil das pessoas. Pelo menos no meu quarto ali, eu fui abençoada com meninas de boa. A dona Carmen, a Laís, todas bem tranquilas. Parece que você tem um sexto sentido assim, sabe...
Roberta: Meu segredo é a Energia das pessoas! Ela funciona muito sabe e acho que as pessoas são encaminhadas para aonde elas devem ir. (Ilha da Magia, eu te amo). Eu acredito muito nisso. Quando é um Walk-in, pessoas que chegam aqui no balcão, se eu vejo que ela está com más intenções, eu digo que não tem vaga ou eu coloco um preço bem mais alto, porque eu não quero esse tipo de pessoa aqui. Eu trabalho por amor, e acho importante que as pessoas se sintam em casa, e eu sigo aquele pensamento de: se eu não dividiria o quarto com esta pessoa, eu também não quero que meus hospedes o façam. Não é a diária dela que vai me fazer mais rica ou mais pobre, eu prefiro que vocês (hóspedes) estejam bem, do que aceitar perfis assim. Por isso que depois das 23hrs se você não tem reserva, você não se hospeda. A não ser que você tenha reserva. Não há check-in após as 23hrs.

Quais são os desafios em administrar um Hostel?
Roberta: O desafio maior é tentar agradar o máximo de pessoas sendo que elas vêm de todo lugar do mundo e estão acostumadas com coisas muito diferentes. Às vezes você acha que vai agradar um, mas vai desagradar outro, é cultural, é gosto pessoal, cada um tem sua abordagem. Às vezes brinco com algumas pessoas, e tem outras pessoas que vão te olhar, tipo, “não gostei”, dai você tem que dar dois passinhos para trás sabe. Então o difícil é tentar agradar essas pessoas sem conhecê-las.

Para finalizar, deixe algum recado extra para que as pessoas possam conhecer melhor esse seu jeito “Way2Go!” lindo de ser.
Roberta: Olha, o pessoal deveria saber que Hostel não essa coisa do governo para desabrigados, tem muita gente que ainda chega com essa visão sabe. Way2Go! é uma casa que você esta alugando com amigos que você ainda não fez. A impressão é esta. Sabe quando você está numa viagem e aluga uma casa de férias? É isso que queremos. Que você venha para cá para fazer amigos surpresa porque é geralmente o que acontece. No final da semana, todo mundo já trocou facebook, trocou e-mails, e está todo mundo se encontrando em outros lugares.

É verdade. Fizemos isso lá no quarto em que estou.
Roberta: Pois é. É isso que queremos. Nunca tive problemas com roubo. Em quase quatro anos de funcionamento, tenho muito orgulho em dizer que NUNCA, ninguém teve nada furtado aqui. A galera é muito legal. Minha bolsa fica aqui, aberta, justamente por conta dessa seleção que eu faço. Claro que já encontrei alguns tropeços, mas o número de pessoas boas é bem maior. Então fica meu convite. Conheça um Hostel, mas que seja de qualidade viu? E se estiver na Ilha da Magia, venha hospedar-se conosco. Em nome da família Way2go! eu garanto que você vai pensar: Por que nunca fiquei em Hostel antes? Pousada e hotel, nunca mais!

Super sugestivo, não é?
Visite o site: http://www.hostelway2go.com/
Gabriella Gilmore
Enviado por Gabriella Gilmore em 12/10/2013
Reeditado em 12/10/2013
Código do texto: T4522662
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Gabriella Gilmore
Governador Valadares - Minas Gerais - Brasil, 35 anos
448 textos (55396 leituras)
16 áudios (1274 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 08:50)
Gabriella Gilmore