Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VOCÊ PRECISA MESMO SUJEITAR-SE A TAIS PESSOAS OU RITOS?

Se crer nos deuses é um direito, não crer se torna um desafio nos locais onde uma tradição religiosa vale mais que a própria vida!
*Por Antônio F. Bispo
  Muitos ainda não se deram conta, mas a crença nos deuses, o convívio no ambiente religioso e a sujeição total ou parcial aos “ungidos do senhor” bem como a qualquer um que fale em nome dos deuses É OPCIONAL!
  Pelo menos deveria ser nos países laicos.
  Essa afirmação é simples e até certo ponto redundante. Deveria ser tão clara como a luz do sol e não seria necessário nenhum “textão” desse tipo para explicar o óbvio!
  Porém a realidade é bem diferente para cada indivíduo, de acordo com as tradições familiares em que este nasceu ou ainda está sujeito por algum tipo de dependência.
  Na grande maioria dos casos, os que insistem em abandonar suas tradições religiosas, são acometidos por chacotas, desprezos e preconceitos diversos por parte do grupo. E aqueles que se diziam amigos e irmãos íntimos, agora usam termos que cortam, machucam e oprimem o fiel para que esse não renuncie suas tradições e sujeições ao líder do grupo.
  De gente boa, pessoa de bem, pessoa de deus, pessoa iluminada e tantos outros títulos eucarísticos, você passa a ser filho do cão, rebelde, herege, ovelha negra, enviado das trevas, etc...Mesmo que você continue sendo a mesma pessoa de sempre o fato de não sujeitar-se mais aos que antes te usavam, te manipulavam ou te extorquiam é o suficiente para fazer que seja reduzido de anjo a demônio em apenas alguns segundos. Todo comentário malicioso pode ser desenvolvido ao seu respeito, inclusive uma história surreal sobre sua vida e conduta poderá ser construída em poucos dias para tentar enegrecer a sua imagem social dentro e fora da igreja inclusive.
  Quase sempre é um ato de extrema ousadia renunciar certos hábitos doentios e paranoicos de alguns grupos religioso. A menos que você seja um imprestável que nunca deu lucro ou serviu a igreja. Nesse caso tanto faz!
  Ousadia maior ainda é descobrir por conta própria que ninguém precisa sujeitar-se aos deuses ou lideranças religiosas para continuar vivendo e sendo feliz longe de tudo isso. Declaração informal de guerra é anunciar essa descoberta aos outros (escravos), seja pelo discurso, pela arte, literatura ou por qualquer outra forma, até por que nem todos querem ser livres de tais amarras. Como no mito da caverna, alguns destes estão amarrados à pesadas correntes em uma caverna escura e veem a vida somente através de sombra e pretendem permanecer assim, pois a luz de fora os deixa desconfortáveis pois os obrigam a enxergar quem realmente são e onde estão.
   De modo grosseiro,  de forma direta ou indireta alguns agrupamentos religiosos fazem com que os fiéis entendam que é terminantemente proibido que eles sendo massa venham se tornar indivíduos e desse modo possam reaver a própria sanidade, liberdade e independência estabelecidas por lei como direito pessoal e intransferível de todos os países não teocráticos.
   Quanto mais fechado for o círculo religioso, mas tenebroso é o caminho para libertação de tais amarras. Quanto maior for o poder financeiro ou político de uma agremiação religiosa, maior será sua influência contra quem decide “abandonar o redil” ou ir de encontro aos “caminhos da fé”.
  Boicotes de todos os tipos podem surgir para inibir o comportamento dos que se recusam a dobrar-se diante de pessoas comuns como se fossem seres divinos, sendo que em alguns casos, os que se escondem atrás de roupas de santidade, nada mais são que pessoas oportunistas, manipuladoras e tiranas em busca da construção de um império pessoal, de luxos diversos ou de prazeres sexuais com ou sem o consentimento do alvo de prazer.
   Mesmo em uma igreja pequena, rogos e pragas de todos os tipos ao “desviados” também são comuns para fazer com que o ex-membro sinta-se um ser tenebroso, um pecador, alguém fadado ao fracasso eterno e motivo de ira das hostes celestiais e infernais, até que este se arrependa e volte humilhando a suposta casa de deus. Em casos mais extremos, ameaças de morte e de deserdação de heranças também são efetivadas como forma de intimidação.
   Alguns desses comportamentos extremistas se dá por que a família do que “se desvia” realmente teme um suposto castigo eterno para o “desviado” e por isso tenta salva-lo de uma suposta condenação eterna.
   É ensinado em alguns desses círculos, que um fiel deve procurar meios de converter todos o seus familiares ao “reino de deus” e se algum desse por acaso se perder, deus irá requerer da mão desse (atalaia) que não fez o bastante para manter toda a sua família na igreja.
 Segundo essa crença, as punições variam conforme a gravidade do “vacilo” do vigia, podendo ser uma simples perda de pedrinhas de brilhante na coroa do fiel, até a sua condenação eterna. Ou seja: mesmo que tu fostes um fiel 100% obediente “a deus”, ao pastor e a todos os costumes e ritos da igreja, se alguém sob o seu teto se desviou e “se perdeu”, você será o culpado e também perderá a sua salvação por causa deste outro. É mole?
  Como não ficar louco com uma crença dessa? Em certos casos, tais igrejas fazem com que o fiel entenda que essa responsabilidade seja ampliada até os seus primos, tios e todos os seus familiares vivos.
  Em outros casos, eles dizem que essa imposição estender-se-á também aos seus colegas de classe, de trabalho, seus vizinhos de rua, seu chefe e até àquelas tribos de índios isoladas na mata, que ninguém conseguiu chegar até hoje ou nem se quer ouviu falar. Se algum deles “morrer sem deus”, você será o culpado! Por esse motivo, alguns familiares levam ao extremo o ato de “permanecer na casa de deus”, vigiando a tudo e a todos, ou tentando converter a tudo e a todos para que sua própria salvação não seja perdida. Entende o motivo de certos crentes serem tão chatos? Eles acham que o deles estão na reta se você não se salvar!
   Sem perceber, eles afirmam com esse tipo de crença que eles trabalham em regime de milícia, onde deus é o miliciano supremo que a tudo controla e que a todos extorquem e a todos oprimem e deserção da igreja é o maior de todos os crimes.
    Milhares de pregações são feitas todos os dias nas mais diversas igrejas relembrando isso aos fiéis. Dezenas de passagens bíblicas e hinos de livros de cânticos oficiais reforçam essa teoria. Cânticos não oficiais tem ainda mais influência se vier de algum tipo de celebridade gospel do momento.
   Quem sabe o maior exemplo que sustente essa linha de pensamento seja a musica VALOR DE UMA ALMA, de uma cantora gospel, lançada nos anos 90 e que até hoje faz sucesso. Essa No embalo dessa música e na culpa desnecessária que ela traz, líderes religiosos são capazes dos fiéis dezenas ou milhares de reais para “campanhas missionárias”.
  Ao que escuta e está nesse nível de crença, o tal cântico é um verdadeiro rito de tortura, levando o fiel a sentir-se um inútil, um traste e um imprestável mesmo em certos casos tendo atendido à risca todas as exigências “de deus”, do líder e da igreja. Por diversas vezes, esse cântico diz: “VOCÊ SERÁ O CULPADO”, referindo-se a todos os que por algum motivo “partiram sem deus”, mesmo estando do outro lado do mundo, sem que você não tenha nada a ver com isso.
  Essa linha de pensamento por sinal anula a crença de que a salvação é pela fé, coisa que eles tanto pregam, dando-se a entender que a salvação se dará pelo numero de pessoas que trouxestes para a igreja ou pelo menos das que não deixastes dela sair.
  Como se não bastasse a supervisão de deus e do líder anotando seus vacilos para que alguém não deixe que um parente abandone a “casa de deus”, os que fazem parte de círculos com esse tipo de crença, vivem sob forte vigilância da própria “irmandade dos santos” que irá atribuir a você (fiel), todos os tipos de culpas e irresponsabilidades quando alguém decide “se afastar de deus”. Estes dizem que deus irá te punir com desemprego, doença, separação conjugal e até com a morte física por você ter perdido uma alma que deus pôs em sua frente para converter e cuidar. Em seus dias de cão, até uma topada que tu deres na rua numa pedra qualquer, será tributado a esse seu crime de “responsabilidade celestial”.
   Quem não nasceu sob um lar evangélico conservador ou quem não foi introduzido nesse meio ainda muito cedo quando criança, não sabe o quanto isso é comum e chega a pensar que é exagero de quem relata ou que tudo são flores e simpatia nesses ambientes.
  Mesmo alguém sendo inserido nesses ambientes depois de adulto, se o lugar onde mora ou trabalha tiver como maioria os adeptos de uma crença radical, verá o quanto é difícil renunciar tais preceitos e recomeçar uma vida longe do fanatismo, paranoia e diferentes estilos de perturbações mentais. Nesses tipos de ambientes, a moda é ser louco, burro, insuportável ou capacho. E quem não for assim será condenado!
   Em mais vários locais onde a fé cristã predomina por exemplo, algumas pessoas nem precisam se desfazer da crença em deus para ser perseguido. Basta parar de frequentar uma igreja e o mimimi já começa. Em outros casos, mesmo mudando apenas de igreja para uma outra com mesmo estilo de fé e conduta (modo de vestir, comer e pensar), a perseguição por parte do grupo anterior será evidente.
 É sabido que apesar de confessarem crer no mesmo deus e salvador, todas as igrejas tem como principio básico a crença de que eles são o grupo certo, que fazem a coisa certa, do modo certo, sendo que as outras, apesar de afirmarem estarem também servindo ao deus certo e verdadeiro, por não estarem fazendo uma “liturgia correta”, não tem validade nenhuma para deus e desse modo ele nãos os vê e nem tem parte com esses.
   É possível que 8 a cada 10 religiosos de fé cristã pense assim ainda que não afirmem isso publicamente! No passado isso era mais explícito e além de fazerem tais afirmações em público, alguns cometiam atos de vandalismo ou terrorismo para com pessoas de igrejas “rivais” o tempo todo. Hoje com a possibilidade de exposição ao ridículo instantâneo e em larga escala pelas redes sociais, o “espirito santo” deu sabedoria a essas pessoas e os tais usam de maquiagem e simbologias para exprimirem o que realmente sentem ou pensam sobre outras igrejas, sobre quem muda de igreja ou sobre quem não quer saber de igreja nenhuma.
    O fato é que, tão antigo quanto a escravidão dos corpos humanos para o trabalho escravo de forma diversa, a escravidão do pensamento ainda é algo evidente em vários locais do mundo e está longe de se ter um fim. Tudo isso feito tem sido feito em nome dos deuses e não importa o quanto digam que esta ou aquela religião é pacifica ou que “o deus é um só”, pelo ideal de agradar e servir aos deuses, essas pessoas são capazes de tudo!
   Quando um crédulo automaticamente associa a não crença em deus ao crime, a barbárie, a uma vida imoral e totalmente desregrada, essa pessoa está totalmente enganada. Preconceito é! Ela está tão errada quanto afirmar que uma pessoa que diz ter deus no coração seja especificamente uma pessoa boa e equilibrada.
   O defeito em si no fato de crer ou não crer nos deuses no que se faz em nome destes! Apesar de parecer inofensivo, um simples ato devocional a um uma divindade (não importa a qual seja ela), poderá criar na mente do fiel uma realidade paralela, fazendo com que a realidade qual ele está inserido seja desprezada e todo um universo imaginário passe a estar lado a lado em uma que só existe na cabeça do fiel. A confusão é evidente nesses casos. Os ataques a quem torna isso evidente também. E por essa “verdade” eles matam e morrem. Aí é que está o problema!
   Diversos grupos tem se formado recentemente e lutado por diversos tipos de liberdades diferentes e tem conseguido! Isso é bom. É um dos caminhos para nossa evolução como pessoa e como povo.
 Triste é notar que em certos casos algumas pessoas nesses grupos lutam para serem aceitas como servas justamente daqueles (os líderes religiosos) que por milênios os perseguiram e os mataram em nome dos deuses. Lamentável!
   Conseguiram a “liberdade racial”, a liberdade pela opção sexual, a liberdade de expressão e agora, por conta própria insistem em serem aceitos justamente pelas pessoas que durante fizeram de suas vidas um verdadeiro inferno em nome dessa ou daquela divindade. Tem lógica uma coisa dessas?
    Esse tipo de sujeição é realmente necessário? Não seria um desprezo pelos feitos já alcançados pelos que no passado pagaram com suas vidas? Não seria uma falta de respeito próprio? Não seria um retrocesso?
   Afirmar que esse ato por parte deles foi uma ignorância do passado e que foi o homem e não deus quem fez isso é o mesmo que afirmar que deus nunca esteve no controle de igreja nenhuma e que tudo é obra do homem mesmo! Sendo assim, então por que permanecer sob tais servidão?
  Os que ainda conduzem “os rebanhos de cristo” na atualidade não precisam ser cassados ou penalizados pela loucura ou pelos crimes de seus antecessores.
  Alguns desses pela evidente demonstração de manipulação com intuitos de beneficiamento próprio, devem ser desprezados até o ponto em que seja notória que a “unção divina” que eles afirmam possuir seja visto como um blefe e estes como sendo um charlatão qualquer, e que os tais tomem vergonha na cara e vão trabalhar como todo mundo faz!
  Quanto aos “mais honestos” entre os que dizem representar aos deuses, que fique evidente a todos que esse tipo de “unção” não passa de uma concepção humana! Deus algum nunca foi visto fazendo tal afirmação. Eles mesmos disseram isso, alegando que fora deus em diferentes tipos de teofania quem o disse para que por meio disso, pudessem assumir diferentes tipos de poderes em nome do imaginário coletivo.
  Todo “ungido”, seja ele qual for é apenas o resultado de uma concepção grupal. O grupo é capaz de parir tais bizarrices bem como de abortá-las quando quiser. Todos eles são concepções locais ou no máximo nacionais. Todo eles podem ser poderosos e autoritários em seus domínios, mas fora disso são pessoas comuns como quaisquer outras, ou até seres insignificantes capazes apenas de intimidar apenas seus súditos. Se para um grupo este é o tal, para outros ele pode não passar de um falsário de meia pataca. Tem sido assim desde sempre.
   Quem leva a sério em tudo tais pessoas ou aos tais entrega o controle total de suas vidas, já está louco ou falta pouco para se tornar um, pois qualquer um que fala o tempo inteiro em nome dos deuses, gente de mente sadia não pode ser!
    Desconfie de todos que afirmem saber de toda a verdade, estar na verdade e viver a verdade! Desconfie mais ainda se tentarem impor a ti ou aos outros tais verdades! Coisa boa não é! Há loucura nisso! Afaste-se! O caminho do gado é o mais perigoso, apesar de ser o costumeiro. Seja firme com qualquer um que tentando te trazer de volta aos patamares da insanidade, use frases de efeito ou versículos bíblicos para te intimidar.
    Sempre e em qualquer situação, você pode REVER SEUS CONCEITOS, e se alguém te impede disso, fique experto!
    Saúde e sanidade a todos!
Texto escrito em 20/6/20
*Antônio F. Bispo é graduando em jornalismo, Bacharel em Teologia, estudante de religiões e filosofia.

Ferreira Bispo
Enviado por Ferreira Bispo em 20/06/2020
Código do texto: T6982973
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Ferreira Bispo
Cristinápolis - Sergipe - Brasil, 38 anos
185 textos (12991 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/20 15:16)
Ferreira Bispo