Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VOCÊ ME CHAMOU – BRUXA?!


Ao ver meus cabelos, brancos,
tingidos pela Ação de Saturno?
Minha pela enrugada,
marcada, como pergaminho,
contando a  História…
das emoções que vivi,
nessas 60 décadas de Caminhada?

No seu entender… se é que entende,
“No ocultismo”, eu seria “aquela que se utiliza
de supostas forças sobrenaturais
para causar malefícios,
perscrutar o futuro e fazer sortilégios;
feiticeira¹.¹”.

Se assim, você me imagina,
com certeza você é um descendente de Torquemada,
e gostaria de poder me condenar
à fogueira… como não é permitido,
pratica um assédio grosseiro,
próprio de pessoas minúsculas,
humana/psicológica e espiritualmente falando!

Ou será que usa a “extensão” da palavra – Bruxa
“por que” sou “muito feia e/ou azeda
e mal-humorada².²”?

Se sim, mirou e errou!
Você tem um conhecimento estranho sobre mim…
ou seja, não me conhece, realmente!

Não me envergonha ter cabelos brancos,
menos ainda, a pele enrugada!
Minha Arca está Cheia do que necessito,
e, não pesa sobre os meus ombros.
Vivi uma infância,
uma adolescência e
Juventude, impares!
No mínimo, esclarecedoras!
Vivi uma vida adulta , confirmadora
de que para minha sede de Ser,
Não existem barreiras, as quais eu não consiga ultrapassar!!!

Vivo uma velhice tranquila,
Tudo que tracei para Minha Jornada,
se concretizou, nos mínimos detalhes!
Sua visão sobre a vida, é, Graças a Deus,
alheia à Minha!

Você me gritou Bruxa?
Bruxa, eu?
Quem me dera ter o poder das Minhas Antigas…
o Dom de curar dores físicas e psicológicas,
usando apenas as ervas do campo… as palavras…
ou a macies do abraço!

Amigo, reveja suas prioridades.
Verifique seus Projetos.
Observe quem ou o quê você É…
enquanto há tempo!
Não se perca de você mesmo, observando o meu existir,
o meu Ser!
Gaste o pouco tempo que lhe resta
buscando um rumo para sua Caminhada!
Conto-lhe um fato que me aconteceu...

Certo dia, um encantado se aproximou e me disse...
“___É muita inveja que “eles” sentem de senhora, não é moça?”
____Do quê? Nada tenho que possa despertar  a inveja de alguém!!!”
Retruquei , sem entender.
E, tocando no meu ombro, o encantado respondeu…
“___Da sua Felicidade! Não existe loja onde possa ser vendida!
Ela nasce no seu coração e se espalha pelo brilho dos seus olhos,
pelas palavras da sua boca,
contamina o sorriso dos seus lábios,
o toque de suas mãos,
o aconchego do seu abraço,
reverbera nos seus atos e ações…
e se derrama no coração dos despertos!
Já observou que é a alegria da sua voz,
da sua presença que atrai algumas pessoas
e que são essas mesmas qualidades que afastam muitos?
É disso que “eles” sentem inveja.
Não podem comprar,
não conseguem roubar,
sequer apagar isso na senhora, moça!”

Fiquei abismada!
Não consigo entender,
alguém descer tanto, por tão pouco!?
Sentir inveja da Felicidade que demonstro,
mesmo não sendo possuidora de bens materiais?
Coisa estranha, essa!
É tão simples, tão acessível…
Não custa nada… é só sentir!

Amigo, sabe o que me causa uma pontinha de desgosto
ao olhar para para você?
Não poder gritar de volta,
todas as suas ofensas…
se ao menos, para  você, eu fosse o Abismo…
mas… nem isso!
Que pena!!!
Adda nari Sussuarana
Enviado por Adda nari Sussuarana em 19/02/2020
Código do texto: T6869532
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Adda nari Sussuarana
Maceió - Alagoas - Brasil, 67 anos
366 textos (9676 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/20 16:14)
Adda nari Sussuarana

Site do Escritor