Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Cura de processo obsessivo - Transcrição da fala do obsessor

Fiz esta cura à pedido de uma amiga, para a sua mãe. 
A cura estava ocorrendo normalmente, com grande expansão da minha consciência.
Após uns 15 minutos, ainda fazendo a cura com as mãos, comecei a falar em outra língua, por uns 5 minutos.
Depois senti a chegada de um espírito com muita raiva. Dei passagem em meu corpo e logo ele foi colocado de joelhos, ao lado da cama, com a o queixo na beirada da cama.
Vou transcrever aqui tudo o que foi falado, pois eu gravei esta sessão.
É meio confuso, como confusa estava a consciência deste irmão.
NOTA: Não é a primeira vez que isto acontece. Alguns vem amarrados, outros vem calmos e nem sabem que estão fazendo mal à pessoa.


"
Eitaaa.
Que porra que eu estou fazendo aqui?
Me prendendo, né?
Me solta!
Porra. Filhodaputa.
Não vai me soltar não é?
Porque não me solta?
Esse homem aqui que está me segurando? Porque está me segurando então?
Porque ele está me segurando? Este homem grande que está perto aqui deste moço que está aí.
Eu não conheço este homem. Este que está me segurando. Não sei, eu não conheço.
Ele está me segurando porque?
Porque eu não sou... obrigado a nada.
Porque este homem gigantesco, que tem uma energia muito poderosa está me segurando?
** quem o estava segurando era o mestre Tranca Ruas das Almas**
Porque?
Eu não fiz nada.
Eu não fiz nada.
Essa mulher aí.
Essa mulher aí.
Porque... eu não tenho nada contra... esse que ela é. Mas esse que ela foi me prejudicou muito.
Eu quero que ela morre.
Esse que ela foi, tirou vida de meu família.
E eu sei que a vida é eterna.
E esse que ela é agora, é o mesmo que ela foi.
É a mesma coisa.
Eu quero que ela morre.
Ela fez mal à minha família toda.
Em outra... em outro corpo.
E eu quero atingir... ela hoje. Para que eu consiga trazer, o que ela foi. Para fazer o que ela foi sofrer.
E eu sei que eu fazendo sofrer o que ela é, faz ela sofrer o que ela foi.
Porque tudo existe... ao mesmo tempo.
E é isso o que eu quero fazer.
O moço tá com o pé machucando. Eu não sou mal, e levanto este moço do chão, para que ele sente.
Mas essa aí eu quero ver sofrer. Ela fez mal à minha família, e eu não perdoo.
Eu quero que ela sofra o mesmo que eu sofri.
Perdão?
Ela não pareceu... ela não perdoou. Ela foi lá e fez.
Fez mal à minha família toda.
Eu não tenho maldade... assim... na minha consciência, mas eu não consigo perdoar. Não consigo.
Porque esse ódio me consome, por dentro.
Durante este tempo todo.
E eu não consigo perdoar.
Eu não consigo.
E aqui neste plano, tudo é instantâneo.
Parece que eu nem morri. Tanto que este plano aqui é parecido.
A minha densidade parecer ser a mesma, por isto eu não consigo perdoar.
O meu ódio ainda é... de quem eu fui.
Não parece que eu deixei de ser o que eu fui, mesmo que se tenha passado aí... alguns séculos.
E vocês estão me perguntando se ... eu vou viver assim eternamente, odiando?
Quero que ela morre.
Mas ao mesmo tempo eu não quero isso.
Não quero que ela morre.
Porque eu sei o que é... morrer pessoa na sua vida.
Morrer pai, mãe, filho. Morrer todo mundo que você ama.
Por causa de uma pessoa. E agora esta pessoa está bem aqui à minha frente.
Eu não vejo esta mulher, no corpo dela. O que eu vejo é o desgraçado que aniquilou a minha família.
É isso só o que eu consigo ver...
Você está dizendo que ela é uma mulher.
Eu não consigo ver isso.
Para mim esta mulher que você fala é o desgraçado que aniquilou a minha família.
Não acredito que... passou tanto tempo. Que ela já não é ele.
Não acredito que passou tanto tempo.
Eu tou olhando para ela agora... que você fala que é ela... e só vejo ele. O desgraçado.
Não sei...
Eu nem sabia que ele... ela, que você está falando aí, estava encarnado.
Porque meu ódio é tanto, que eu não consigo ver mais nada além dele.
Se você está falando isto, que ele não é ele, então eu estou errado na minha... no meu ódio contra uma pessoa que...
Então este meu ódio não vai adiantar nada.
Eu não sou mau, só quero vingança.
É mal ter vingança?
É justo.
Pelo menos era, naquele tempo.
Eu só não matei ele, porque eu era pequeno.
E depois eu nunca mais vi ele. Aí depois um dia ele apareceu.
E eu segui ele.
E é por isto que eu ataco ele e faço tudo isto nele.
Eu quero é matar ele.
Você está falando que ele não é mais ele.
Eu só consigo enxergar ele.
Esse ela que você fala, eu não vejo.
Estou olhando para ele agora.
E o que eu vejo é ele.
** Aqui ele começou a gaguejar, com emoção **
E porque que ele... tá mudando?
É porque que ele tá mudando? **começando a chorar**
Ele é ela.
Ele é ela.
** chorando muito **
Então é verdade.
Não é ela que fez tudo para minha familia.
Não é ela não.
Vocês estavam falando a verdade.
É uma mulher.
Eu não sabia que ele tinha encarnado
** chorando muito **
Não sabia, eu não sabia que não era mais ele.
** se acalmando **
Ele é... uma mulher.
É uma mulher que eu estou vendo.
É uma mulher...
Ela não é ele.
Porque não é ele?
Ela não é ele mais.
Agora eu só vejo a mulher.
Agora eu só estou vendo a mulher.
Só a mulher que eu vejo.
E eu estou fazendo isto há muito tempo?
Duas vidas perseguindo.
Essa é a segunda.
Em duas vidas que eu estou atrás dele não é ele.
Então porque eu não consegui.. ver a pessoa?
O meu ódio.
O meu ódio.
O meu ódio me levou a ver o que eu queria ver.
Eu criei esta ilusão.
Eu só via na energia dela, o corpo dele.
Eu vivi nesta ilusão pelas últimas duas vidas, desta energia, que um dia... foi o desgraçado que matou a minha família inteira.
Eu não sou mau.
Este ódio me consumiu tanto tempo.
Eu não sei o que fazer.
Eu não sei para onder ir.
Eu peço ajuda.
Peço ajuda... para que esta compreensão que eu tive aqui hoje... através deste moço aqui, para que esta compreensão seja mais clara para mim
Eu peço perdão, a esta moça aí, a esta mulher né?
Peço perdão à moça, que é filha.
E peço perdão à mãe.
Eu não sabia o que estava fazendo.
Para mim... era o desgraçado.
Eu peço então ajuda... para que eu tire esta mágoa e este ódio do meu coração.
Peço perdao, a esta moça e a esta mãe... pelo meu engano.
Eu não sou mau.

** Outra consciência **
E eu aproveito para deixar um alerta aqui a vocês, meus filhos.
Depois da morte vocês continuam criando, como criam aí em vida.
Materializam o que vocês querem.
A diferença é que aí na matéria demora muito para acontecer
Depois do desencarne... a manifestação é instantânea.
Vocês vivem no mundo que vocês criam.
Sempre foi assim e sempre será.
Eu vou conduzir agora este rapaz... que está no engano.
Eu vou conduzir ele para... para os nossos mestres, para que levem ele a compreender o auto-engano em que ele esteve durante este tempo todo.
E essa senhora não vai mais... ter este problema, que tanto atormentou a vida dela.
Não vai mais.
Grande filho, você libertou aqui duas pessoas, duas vidas, porque a Vida nunca acaba.
Você libertou ao mesmo tempo duas vidas.
Continue filho, continue observando as sincronicidades na sua vida e levando a cura onde for.
Levando o amor onde for.
Assim é e assim será.
"


Autor: Valdemir Nunes da Silva

 
Jornada da Alma
Enviado por Jornada da Alma em 25/10/2019
Reeditado em 30/12/2019
Código do texto: T6778876
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Jornada da Alma
São Paulo - São Paulo - Brasil, 51 anos
156 textos (5349 leituras)
28 áudios (940 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/01/20 20:47)
Jornada da Alma