Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Café e a Ausência

O momento requer uma boa reflexão acerca da figura materna, que assume o papel de esquecida dos seus próprios familiares e seus correlatos numa estreita ligação com a família materna que está longe.

Comer alguma forma de comida também é lembrar de alguma lembrança, nisto Marcel Proust tinha uma boa razão em dar por construído esse formato de lembrança.

As experiências são na verdade fatos alinhados em uma perspectiva narrativa traduzem uma ideia valorativa sobre a vida em geral ,   a mãe Lúcia entende todos esses elementos tão cheio de polifonia.

Finalmente uma dose dessa histórias, acontecem em lugares inusitados da grande Tóquio. E, em meio aos pratos servidos, a clientela relata seus dramas, alegrias, as relações afetivas e amorosas e como faz para superar os problemas e dificuldades do dia a dia.

Em termos práticos, a ela se associa a imagem da boa professora que tive ao longo da vida, ganha a dinâmica da construção de um sema em minha vida.

E a figura materna traduz todo seu pensamento em notas breves e sondáveis ao nosso pensamento meu caro leitor, ele observa tudo por intermédio da música e da musicalidade. Tal observação advém de uma visão otimista da polifonia da vida que o violonista encerra em suas melodias.

Assim ela compreende a dimensão da vida  mediante as cordas do amigo violão, suas capacidade musical capaz de dedilhar por horas diversas melodias bem múltiplas no mesmo ritmo e som. Suas melodias traduzem o conjunto de preocupações existentes em sua  polifonia de vida.

Ausentar-se significa tardiamente viver pouco , nesta coluna irei refletir sobre a vida da minha mãe, nesse caso a ausência gera uma enorme saudade em quem somente vive.

Usualmente viver para ela é simplesmente apagar incêndios ou incertezas naturais a todo mundo, sua presença irradiava normalmente felicidade ou segurança em família.

Sinuosamente nós guardamos boas recordações dele resgatamos assim sua presença outra vez é um bom raciocínio para toda família. a mãe traduz esse pensamento de forma natural.

Em termos gerais, a cristã Lúcia construiu um padronização da Cristandade Pentecostal em família, um retrato espiritual de  si  mesmo, uma verdadeira antropologia de si.

Naturalmente a cristã Lúcia busca realizar a conexão sinfônica de cada elemento da polifonia da vida em uma busca incessante e sonora, mas ainda falta algo.

Cabalmente  a mãe  vive o melhor que podia em muito pouco tempo traduzir essa mentalidade revela um certo grau de ansiedade para alcançar o seu melhor.

Ironicamente  as experiências vivenciadas por ele lhe  ajudam, apreciando mudanças possíveis em seu cotidiano que sucedem piamente.

As experiências são na verdade fatos alinhados em uma perspectiva narrativa traduzem uma ideia valorativa sobre a vida em geral,  mãe Lúcia entendia todos esses elementos tradicionais.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 28/06/2019
Código do texto: T6683604
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 35 anos
1021 textos (9831 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/01/20 20:20)