Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Polifonia da Vida e o Silêncio

Assim dando continuidade as colunas sobre a família materna em especial figura  exata do tio Paulo, que sempre estavas atento a tudo, mas em silêncio.

Primeiramente  remontar a cada fragmento da sua vida  se torna algo complexo e inexato diferente da realidade de outros parentes maternos renascidos do túmulo.

O tio Paulo tinha uma  enorme reputação na família materna, considerando suas posses materiais e sua visão de mundo antecipando os demais.Tal antecipação provoca uma certa releitura da vida.

Legalmente ele foge da visão musical da polifonia para um leitura de um clássico da Literatura, concorre pensar que ele assumiu o lugar de um intérprete numa posição também privilegiada.

Ironicamente shakespeariano em sua base e cosmovisão.Ele encarou a vida como um conflito básico de interpretações recriada mediante suas dúvidas e incertezas.

Favoravelmente cada interpretação ou leitura se resume a um bela resenha considerando que seja um construto cultural, nesse quesito esse sujeito vida tudo como uma visão exatamente aristotélica.

O intérprete faculta a sua interpretação um estilo pessoal adequado ao texto analisado.A vida é vista como um “texto de múltiplas camadas, que tece com maestria as questões existenciais do privado e do político e solta o leitor em um campo aberto”.

Nesse caso, o intérprete privilegiado favorece com um toque especial esse texto chamado de vida; este leitor  recebe  a  simples impressão de ser um impostor, que fala sobre um romance que outra pessoa escreveu”.

Indicando os caminhos da existência de acordo com uma esmerada dedicação espelhada em verdades universais, em que cada interpretação renasce como uma longa narração.

A estrutura  da interpretação construída facilita a ideia de narração complementa tudo com seu ponto de vista.

Diante desse alegre quadro bem realizado conforme o planejado, o intérprete  deve ser  resenhar aquilo que acredita ser útil no presente ou no passado.

Assim ele parte da um lugar desconhecido mediante sua leitura ou interpretação  de  entender o mundo e suas nuances bem particulares  decorrentes de suas posições  e decisões.

Virtualmente essa releitura categórica da realidade lhe aproxima das dúvidas existenciais provocando uma certa tensão individual ou tensão coletiva.

Isso reflete intencionalmente um olhar diferente para a vida, um olhar diferenciado para as questões cotidianas que basicamente dependem de sua atenção.

Diante deste fatos, o  intérprete recupera sua identidade reconta somente os  fatos que marcaram sua vida, como nas vidas atribuladas do famoso pintor Van Gogh   e do artista Ai Weiwei.

Ao recontar associa tudo que foi perfeitamente bom que se sucedeu em detalhes recorrentes, se Van Gogh sobreviveu graças a polifonia  da vida , e o senhor Ai Weiwei enfrenta diversas marés vermelhas  contra seu modo operacional de artista engajado.

Exatamente aí reside uma infinidade de riscos pessoais e coletivos, como pensamos conforme  o intérprete? Significa assim  ter uma mentalidade absolutamente  devotada as Artes á posteriori requer boas experiências como  um guia natural para a polifonia da vida.

O tamanho da  interpretação oferecida  indica um desafio ao formato ideal  segundo sua concepção acerca vida como um mosaico multicolorido e adequado a sua realidade natural.

Sabendo que  a interpretação possui uma rasa definição ,  a interpretação  pode ser definida como uma conexão entre a teoria e a prática cotidiana que produz uma certa sabedoria , um conhecimento experimentado e acertado de situações da vida que carecem de decisões precisas.

Indicar um caminho a função clara do  intérprete  para os demais que formulam a pergunta , um caminho que pode ser aplicado por todos e a todos que lhe ouvem naquele momento , como um típico contador de estórias de certas tradições. Ao explicar ele dá uma compreensão ao contexto a ser descrito.

Legalmente, quem responde as dúvidas fornece um aparato cultural superior a quem questiona.O  intérprete  tem por função transmitir a verdade explicativa em detalhes mínimos e claros dando funcionalidade da resposta.

E por fim chegamos na ideia de  interpretação que é algo singular, ela cumpre o seu papel de esclarecer ás dúvidas existentes de pessoas com uma enorme falta de informação ou capacidade de decisão, as pessoas que sofrem por isso, a tamanha dificuldade reside em montar uma conexão entre as informações e o contexto.

Nunca considera uma introdução uma resposta única. A nossa resposta deverá ser no mínimo dupla. Meu caro leitor, você deve prestar atenção aos detalhes, pois neles residem as respostas adequadas para suas dúvidas, essa alegação inaugura assim nossa primeira parte da resposta.


Cada  interpretação atende um tamanho de pergunta que foi de algum momento formulado por alguém que precisa saber de algo realmente novo e interessante de certo modo providencial ao coletivo que ouve a resposta dada e atendida por um outro alguém.

Indicar um caminho possível para a polifonia de vida em diversas realidades aceitáveis ou não dentro um conjunto de possibilidades naturais ou artificiais.

O  intérprete apenas dá condições aceitáveis para  um conjunto de conclusões definitivas , mas o desafio fica concernente ao leitor. As nossas percepções indicam que o risco é maior para quem recebe essa missão, o  intérprete  descreve as realidades em respostas diretas e comuns de acordo com uma polifonia de vida agradável e compreensível em seu contexto , o tio Paulo exerceu bem esse papel.
JessePensador
Enviado por JessePensador em 17/10/2017
Código do texto: T6145353
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 35 anos
1012 textos (9715 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/01/20 23:54)