Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Do pseudônimo ao orientalismo: um “caminho das pedras” representativo no labirinto das narrativas de Malba Tahan

 José João Bosco Pereira & Maria Ângela de Araújo Resende

http://www.revlet.com.br/index/literatura

RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 05, nº 02, ago./dez, 2013

ISSN: 2176-9125
__________________

DO PSEUDÔNIMO AO ORIENTALISMO: UM “CAMINHO DAS PEDRAS” REPRESENTATIVO NO LABIRINTO DAS NARRATIVAS DE MALBA TAHAN
FROM PSEUDÔNYM TO ORIENTALISM: A “PATH OF STONES” REPRESENTATIVE IN THE LABIRIN MALBA TAHAN NARRATIVES
José João Bosco Pereira
Mestre em Teoria Literária e Crítica da Cultura
Universidade Federal de São João Del-Rey
(jbosconato@hotmail.com)
Maria Ângela de Araújo Resende
Doutora em Estudos Literários
Universidade Federal de São João Del-Rey
(mariangela_letras@oi.com.br)1
RESUMO: O presente artigo analisa as questões sobre pseudônimo Malba Tahan de Júlio César de Mello e Souza (1895-1974) em suas obras como O homem que calculava (1997), sucesso editorial entre 1960 a 1997. Questiona-se a interação do pseudônimo com a projeção editorial e com a apropriação da recepção aos elementos do realismo fantástico. O universo híbrido de histórias à oriental que domina as narrativas é o recurso editorial que se justifica diante da recepção no público-ledor. Houve aprofundamento da articulação do imaginário estético e das versões imagéticas do Oriente árabe, judeu e mulçumano, com a irrupção de mitos, lendas e outras micronarrativas em Malba Tahan, porta-voz de um orientalismo engendrado no Ocidente. Hoje, preocupa-se com a leitura dos paradoxos seculares de conflitos culturais. Para responder aos desafios, os conceitos em Benedict Anderson (2008), Edward Said (1978), Homi Bhabha (2007) discutem à apropriação imagética do Oriente exótico na literatura e a mediação de redes sociais. Deste modo, a escritura de Júlio Souza é marcada pela ambiguidade e sua heteronímia como forma de metaforizar o real - estética, cultural, militar e politicamente.
Palavras-chave: Heteronímia; Hibridismo cultural; Orientalismo; Realismo fantástico; Redes sociais ABSTRACT: The present article analyzes the issues about the pseudonym Malba Tahan of Julio Cesar de Mello e Souza (1895-1974) in his work as The man who Counted (1997), editorial success between 1960 to 1997. It is questioned the interaction between the pseudonym with the editorial projection and with the appropriation of elements of fantastic realism. The hybrid universe, stories based on the East side on the continent that dominates the narratives is the editorial resource to justify the reader positive reception... There was a deep articulation of the imaginary aesthetic and the imagetic versions of the East Arabic, Jewish and Muslim, with the irruption of myths, legends and other micro narratives in MALBA Tahan, spokesman of an orientalism dreamed up in the West. Nowadays, there is a certain worry, concerned to secular paradoxes of cultural conflicts reading. To answer to the challenges, the concepts in Benedict Anderson (2008), Said (1978), Homi Bhabha (2007) discuss the ownership of East exotic imagery in literature and the mediation of social networks. Thus, Júlio Souza writing is marked by ambiguity and its heteronomy as form of Metaphor of the real - aesthetically, culturally, militarily and politically.
1 Professora de Literatura Brasileira na graduação e no mestrado (PROMEL-UFSJ).
199
RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 05, nº 02, ago./dez, 2013
ISSN: 2176-9125
Keywords: Cultural heteronomy; Hybridism; Orientalism; Fantastic realism; Social networks
Introdução
Culturas, literaturas rimam, tensa e antropofagicamente, com arquitetura da psique como labirinto de pulsões criativas e insólitas. Com o Modernismo brasileiro, o crivo “canibal” ou antropofágico mergulha o arquivo europeu sob suspeita na redescoberta de um Brasil sui generis. Esse olhar é renovado à luz do entrelugar na literatura contemporânea. Cabe ao intelectual se posicionar nas dobras inusitadas dos discursos para desconstruí-los, derridaneamente e/ou à luz de Silviano Santiago, o que nos é interpelado historicamente como herança eurocêntrica e construto literário específico da brasilidade e da Americanidade latina. Aqui se inserem os estudos pós-colonialistas, pós-estruturalistas, pós-fenomenologistas, pós-cartesianistas e pós-ilumunistas, dentre outros. Assim, nossas investigações e objetos se tornam centros de mirada e exegese a fim de descortinar outras literaturas e suas relações com a história de produções de intelectuais latino-americanos. Nesse contexto, é que se devem contextualizar os orientalismos, no caso deste estudo, a produção e a recepção de Malba Tahan no Brasil. Perguntamo-nos sobre as questões relevantes nessa literatura que se pretende oriental abaixo dos trópicos e as razões de sua legitimidade ou sua audácia. Com Malba Tahan, percorrem-se as novas configurações de mapas da geopolítica oriental contemporânea, refletindo sobre os conflitos desde as cruzadas, o terrorismo de 21 de setembro de 2001, a Primavera Árabe como o grito de democratização tardia com a inédita mediação das novas tecnologias como as redes sociais e virtuais e a fobia do Ocidente ante a expansão mulçumana na Europa e nas Américas. Agora, em pleno 2013, a Europa, especificamente a França, adotam intervenções militares na África saariana com a emergência de os novos ataques – talvez da Al-Qaeda, em Marrocos, Argélia, Síria e Líbano, a ascensão da China no cenário global, os conflitos de Israel com os palestinos na faixa de Gaza e além dela,....
continuação em http://www.revlet.com.br/artigos/205.pdf

_________________


Referências
ANDERSON, B. Imagined communities: reflections on the origin and spread of nationalism. 2008. Disponível em: <http://www.google.com.br/search>, Acesso em: 08/11/11.
BURKE. Hibridismo Cultural. Unisinos, 2003.
BENJAMIN, W. A obra de arte na época de suas técnicas de reprodução. In: Os Pensadores. V. XLVIII. Abril Cultural, 1ª ed., 1975.
____. O Narrador: Considerações sobre a obra de Nikolari Leskov. In: Mágia e técnica, arte e política. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 197-221.
212
RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 05, nº 02, ago./dez, 2013
ISSN: 2176-9125
BOURDIEU, P. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, M. de M.; AMADO, J. (ORG). Usos e abusos da História oral. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1998. CALLIGARIS (2006): Fábula sobre os conceitos de moral e psicanálise. <http://lauravive.blogspot.com.br/2006/01/contardo-calligaris-marcha-dos-pingins.html>. Acesso em: 18 jan. 2013.
CAMUS, A. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Albert_Camus>. Acesso em: 17 jan. 2013.
COMPAGNON, A. Os cinco paradoxos da modernidade. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
DERRIDA, J. A farmácia de Platão. Trad. Rogério da Costa. 2. ed. São Paulo: Iluminuras, 1997.
____. Papel-máquina. Trad. Evando Nascimento. rev.: Anamaria Skinner. Estação Liberdade, 2004, 360 p. Sinopse disponível em: <http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?isbn=8574480967>. Acesso em: 17 jan. 2013.
FARIA, J. C. de. A prática educativa de Júlio César de Mello e Souza Malba-Tahan: um olhar a partir da concepção de interdisciplinaridade de Ivani Fazenda. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, Pós-graduação em Educação, 2004. 278 p. Disponível em: <http://www.malbatahan.com.br/artigos/dissertacao_juracycfaria.pdf>. Acesso em: 21/02/2012.
FREUD. Volume IV - A Interpretação dos Sonhos (I) (1900). Volume V - A Interpretação dos Sonhos (II) e Sobre os Sonhos (1900-1901), Volume XXI - O Futuro de uma Ilusão, Mal-Estar na Civilização e outros Trabalhos (1927-1931). Disponível em: <http://www.livrariadopsicanalista.com.br/produto/2258877/EDICAO-STANDARD-DAS-OBRAS-COMPLETAS-DE-SIGMUND-FREUD-24-Volumes>. Acesso em: 20 jan. 2013. HOBSBAWN, E. Era dos Extremos, O breve século xx, 1914-1991. Trad. Marcos Santarrita. 2ª Ed. Companhia das Letras, 1994.
HALL, S. Estudos Culturais: Dois Paradigmas. In: Sovik, Liv (Org.) Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Trad. Adelaine La Guardia et. al. Belo Horizonte: UFMG/ Brasília: Unesco no Brasil, 2004.
JOÃO, São. Disponível em: <http://reflexaobiblica.spaceblog.com.br/297894/EVANGELHO-SEGUNDO-JOAO-Estilo-Ironico/>. Acesso em: 17 de jan. 2013.
JUNG, C. G. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Carl_Gustav_Jung>. Acesso em: 20 jan. 2013.
LE GOFF, J. História e memória. Trad. Bernardo Leitão et al. Unicamp, 2003.
LÉVI-STRAUSS, C. Tristes Trópicos. Portugália / Martins Fontes. 1955.
213
RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 05, nº 02, ago./dez, 2013
ISSN: 2176-9125
LUHMANN, N. Apresentação da obra deste sociólogo e comentários. Disponível em: <http://www.recantodasletras.com.br/discursos/3928905. Acesso em: 19 jan. 2013.
MAQUIAVEL. Jornal Mundo Jovem. junho de 2012, Ed. nº 427, Rio + 20. Disponível em: <http://www.mundojovem.com.br/edicoes/427-junho-2012-rio-mais-20-a-natureza-nao-esta-a-venda>. Acesso em: 18 jan. 2013.
MARIANO, O. "Malba Tahan". In: Lendas do deserto. Rio de Janeiro: Ed. Conquista, 1959. p. 5-7.
MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação cultural e hegemonia. UFRJ, 1986.
MOLLOY, S. À vista – a escrita autobiográfica na América hispânica. Chapecó: Argos, 2003.
NETO, A. de F. P. et al. O homem que criava. In: Revista de História da Biblioteca Nacional. Ano 7, nº 84, set. 2012. p. 66-69.
NILTON FUKUDA noticiava, em 10 de fevereiro de 2010, a morte de Bin Laden, site atualizado em 2 de maio de 2011 - 09:07 (Brasília) 12:07 - Disponível em: <http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/05/110502_osama_resiste_is.shtml>. Acesso em: 17 jan. 2013. ORTEGA Y GASSET: "De repente a multidão tornou-se visível, instalou-se nos lugares preferenciais da sociedade". Disponível em: <http://froilamoliveira.blogspot.com.br/2012/12/segundo-ortega-y-gasset.html>. Acesso em: 17 jan. 2013.
PEREIRA, J. J. B. “Dialogo intertextual entre a pulsão lírica de Edgar Allan Poe e de Sebastião Bemfica Milagre”, In: Revista GLÁUKS. Universidade Federal de Viçosa. Disponível em: <glauks@ufv.br ou http://www.cielli.com.br/downloads/176.pdf>. Acesso em: 2001/2013.
PIGLIA, R. Memoria y tradición. In: Anais do II Congresso ABRALIC. Belo Horizonte: UFMG, 1991, v. 1, p. 60-66.
PIGLIA, R. (2011). “crime como uma janela, modo de ver a realidade.” Disponível em: <http://veja.abril.com.br/blog/meus-livros/tag/ricardo-piglia/>. Acesso em: 18 jan. 2013.
PENA-VEJA, A. ALMEIDA, C. R. S. PETRAGLIA, I. (orgs.). Edgar Morin: Ética, Cultura e Educação. São Paulo, Cortez, 2001.
PRIMAVERA ÁRABE. Disponível em: <http://pt.shvoong.com/social-sciences/education/2216005-primavera-%C3%A1rabe/#ixzz2IG0QYuvK>. Acesso em: 17 jan. 2013.
214
RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 05, nº 02, ago./dez, 2013
ISSN: 2176-9125
RAVETTI, G. et al. Topografias da cultura: representação, espaço e memória. Belo Horizonte: UFMG, 2009. 184 p.
REIS, G. Arte, memória e cidades: espaços de vivências coletivas e temporalidades em movimento. IN: TOLENTINO, M. V. F. de. Nação e Identidade: Ensaios em Literatura e Crítica Cultural (2007). São João del-Rei: PROMEL/UFSJ, p. 213-232.
RENAN, E. O que é uma nação? Conferência - Sorbonne, 11 de março de 1882. Disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/51231037/ernest>. Acesso em: 19 jan. 2013.
RIBEIRO, N. F. Heteronímia e perspectivismo – “espaço literário” e multiplicidade de estilos nos pensamentos de Nietzsche e Pessoa (doutorando do departamento de Filosofia, da Universidade Nova de Lisboa). Disponível em: <http://www.cadernosnietzsche.unifesp.br/pt/home/item/63-hete...>. Acesso em: 21/02/12. RUSHIN, R. É o autor ainda procurado pelo Islã, porque “provocou a ira de muçulmanos” Disponível em: <http://noticias.terra.com.br/mundo.html>. Acesso em: 17 jan. 2013.
SANTIAGO, S. O entre-lugar de Silviano Santiago. Correio Brasiliense. Pensar, Brasília, p. 8-11, 02/06/2002.
SOUZA, E. M. de. Biografar é metaforizar o real. Fórum Virtual de Literatura e Teatro, de agosto de 2008. Disponível em: www.pacc.ufrj.br/literatura/emcena/analise_doc_santiago.php>. Acessos em: 01 de set. de 2010.
TOLENTINO, M. V. F. de. Nação e Identidade: Ensaios em Literatura e Crítica Cultural. São João del-Rei: PROMEL/UFSJ, 2007. p. 213-232.
SANTOS, B. de S. Pela Mão de Alice: O social e o político na pós-modernidade. São Paulo, Cortez, 1997.
SANTOS NETO, E. O Projeto Político-Pedagógico da Escola: Caminho para Organização e Articulação do Trabalho Coletivo. Educação e Formação. In: Revista
do Congresso de Educação Continuada. Pólo 7/PEC, UNITAU, dez.1998. p. 17-20.
TAHAN, M. O homem que calculava. Rio de Janeiro: Record, 1994. p. 85-92.
____. A Arte de Ler e Contar Histórias. Rio de Janeiro, Conquista, 1964.
____. O Mundo Precisa de Ti, Professor. Rio de Janeiro, Ed. Vecchi, 1967.
____. Lendas do Deserto. 16ª ed. Rio de Janeiro/ São Paulo: Record, 1997.
215
RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 05, nº 02, ago./dez, 2013
ISSN: 2176-9125
____. Os Melhores Contos. 10ª. Edição. Rio de Janeiro: Redord, 1994.
____. Lendas do Oásis. Rio de Janeiro, Editora Record, 1999.
____. Minha Vida Querida. Rio de Janeiro/São Paulo, Editora Record, 2000.
____. Mil Histórias Sem Fim. Rio de Janeiro/São Paulo, Ed.Record, 2000.
____. Lendas do Céu e da Terra. Rio de Janeiro, Record, 2001.
____. Lendas do Povo de Deus. Rio de Janeiro, Record, 2001.
VEIGA, J. J. Disponível em: <http://www.mondoweb.com.br/murilorubiao/teste05/criticas.aspx?id=8>. Acesso em: 20 jan. 2013.
VILLAMEA, L "Malba Tahan – o genial ator da sala de aula". In: Revista Nova Escola, ano X, nº 87, set. 1995. p. 9-10.
J B Pereira e José João Bosco Pereira & Maria Ângela de Araújo Resende
Enviado por J B Pereira em 06/06/2014
Código do texto: T4835120
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2301 textos (1288622 leituras)
14 e-livros (91 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/19 19:46)
J B Pereira