Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O TRÁGICO FIM DE HERCULANO E POMPEIA


                   Uma cidade com vestígios de natureza defensiva
                     Após uma vitória torna-se atraente e popular
                    A mitologia romana, o deus Hércules a originar
                 Herculano, com suas muralhas deflagra compassiva.

                       Situada em uma localização apaixonante
                      Imponente cenário entre o mar e o Vesúvio
                      Não distante de uma armadilha dilacerante
                    Enterro sem compaixão, entre cinzas sem dilúvio.

                    A fúria descomunal de um vulcão incandescente
                Impiedosas lavas afogueadas sem deixar descendente
                 Traga cruelmente a lendária localidade, num rebento
               Onde jaz corpos romanos, sob uma cápsula do tempo

                   A mensagem de Rectina ao grande autor romano
                   Que o leva a zarpar sem hesitar, e tentar resgatar
                       Pessoas aflitas, em solo ardente, subumano
                 Tornando-se vítima atestada e Rectina sem proclamar.

                  Das cinzas renasce hoje, Erculano, lugar inviolado
             Em contrate com as ruínas, casas decoradas com afrescos
             Instigante e apaixonante, tornou-se lugar vivo e pitoresco
              Diferentes das soturnas lembranças, de séculos passados.

                                                                (Verdana Verdannis)


                        Tão manso era o morro dito Vesúvio,
                        agreste seara de vinhas brilhantes
                        que artistas, poetas e jovens amantes
                        chamava -dos bosques- um plácido eflúvio.

                         Mui rica a cidade de nome Pompeia
                         tão bela de templos, de praças e ornatos,
                         mas poucos dão fé aos obscuros boatos
                         enquanto –debaixo- a lava serpeia.

                         Os inquieta -da terra- o contínuo tremor
                        (as fontes não jorram mais água nenhuma):
                       -no cume do monte aparece uma bruma
                        que inspira na turba um silente temor.

                         Se espalha o terror duma negra coluna
                         que imenso ciclope as nuvens alcança:
                        -do céu vai descendo, qual trágica dança,
                         de pedras a chuva, de cinzas a bruma.
 
                         Escapam os jovens das pernas esbeltas
                         por sendas cobertas por metros de pomes:
                        -em vão de seus pais eles clamam os nomes:
                         tragados já foram por ondas revoltas!

                          Bairros noturnos são infernos dantescos
                          varridos sem fim pelos fluxos ardentes:
                         -os poucos que restam tão mais do que cientes
                          que as rezas não passam de gestos grotescos.

                          Cessa enfim a fúria do ínclito vulcão
                          que trouxe a morte na pacífica cidade
                          e onde antes prosperou uma sociedade
                          só ecoam os vãos gemidos do falcão.
                                                 
                                                              (Richard Foxe)

NOTA: A jovem Rectina, nobre romana cultora da arte e da poesia, enviou, por meio de um telégrafo óptico, uma mensagem ao almirante Plínio que, não tendo como aportar, foi socorrer os habitantes de Estábia, onde morreu sufocado pelos gases. No entanto Rectina, com grande coragem, conseguiu se salvar lançando o seu alazão na estreita estrada entre as encostas ardentes do Vesúvio e o mar revolto.
Mais detalhes sobre a destruição das duas cidades, com fotos, desenhos e mapas no site:    https://principedaliberdade.wordpress.com/2016/12/17/a-destruicao-de-pompeia/
Verdana Verdannis e Richard Foxe
Enviado por Verdana Verdannis em 21/05/2019
Código do texto: T6652735
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Verdana Verdannis
Fortaleza - Ceará - Brasil
323 textos (26102 leituras)
46 áudios (2334 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/09/19 22:15)
Verdana Verdannis