Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem grilo


Encontrei minha "Estação do Mosquito" no blogue de um internauta que não sei quem é, ou de quem não me recordo no momento. Lá está, ao pé da crônica: posted by..., e segue o nome do outro. Não me cita como o autor do texto nem fornece o endereço do meu Galho de Arruda, burlando as recomendações de minha licença no Creative Commons.

No entanto tenho bons motivos para acreditar que não houve intenção maldosa por parte dele. É até possível que tenha falado comigo sobre o assunto através de e-mail, obtendo minha autorização — mas não sem os créditos devidos.

A grande verdade é que o nosso amigo não muda uma única palavra em todo o texto, o que o obriga a admitir — para os visitantes internéticos que o lêem pela primeira vez — que já esperou o trem da Aeronáutica na arqueológica Estação do Mosquito, viu Dadá Maravilha ainda garoto jogando pelada no rala-coco de Marechal Hermes e conta hoje com os mesmos cinqüenta e nove anos de idade deste pobre senhor que vos escreve. Eu tiro de letra, mas para um "jovem amador em literatura", como ele mesmo se confessa no Perfil de sua página, é idade pra burro.

Não, não é um gatuno da obra alheia esse blogueiro abençoado; é um admirador, está-se vendo, e merece toda a minha estima.


[17.12.2007]

Luiz Guerra
Enviado por Luiz Guerra em 17/12/2007
Código do texto: T782389

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Luiz Guerra, www.galhodearruda.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz Guerra
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 71 anos
166 textos (17870 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 23:38)
Luiz Guerra