Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como ela nos ama

Com amor pela fé, ela era linda e maravilhosa. De ter vinte e nove anos, tez morena, cabelos ondulados, esbelta, silhueta bela, corpo robusto, um metro e setenta e um de altura, tinha também cinquenta quilos e assim. E não namorava ninguém era virginiana e virgem também. De seus pais morava com eles o tempo inteiro. Ela se chamava Eudora e os pais Juscelino e Adamantina. E tinha cinquenta ele e quarenta e oito ela. Ela a Eudora estudava inglês e queria muito ser professora e ensinar aos seus futuros alunos. E se formou aos trinta e três. De cada alegria sincera Eudora se cercava pelo amor de Jesus. E queria também ser acolita na igreja que frequentava. E foram-se felizes os três. Eudora conheceu um rapaz chamado Eustáquio e começaram a namorar. E tiveram um longo namoro, foram cinco anos e um noivado mais sete anos e então casaram. E tiveram três filhos, dois meninos e uma menina. E deram o nome de Joaquim, Essênio e Diana. Com sete anos Joaquim escreveu seu primeiro livro intitulado: sementes. Essênio aos oito anos escreveu seu primeiro livro intitulado: fomos amar. E Diana aos dez anos escreveu seu primeiro livro intitulado: vamos correndo. E Eudora foi mãe feliz, e os avós Juscelino e Adamantina também. Juscelino morreu com cem anos, Diamantina com noventa e nove, Eudora com cento e um, Eustáquio partiu com oitenta e oito, Joaquim partiu com oitenta e nove, Essênio foi com cem e Diana foi vitoriosa também indo com noventa anos para o céu. E todos estão com Deus e Nossa Senhora e Jesus Cristo de Nazaré. E com serena de cada momento certo se disse no epitáfio deles: onde foram enterrados são pazes de seres bons, sãos e verdadeiros. E assim se segue o horizonte de que podemos cair mais Jesus nos dá acalanto e paz.  E com parcimônia e seremos para o celeste o que Deus quer para nós, paz, amor e perdão. De cada mover de lábios sinceros Deus não se esquece de nós e lembra o tempo inteiro que nos ama. Eudora foi o pivô da salvação de tudo e de todos e graças a Deus eles todos se salvaram e fora para a pátria celeste o céu. E cada aluno dela se lembra: sempre fora honesta, educada, forte e valente. E resolvia tudo em casa e no trabalho. E era realizada mais queria mais. E compraram os pais de Eudora uma casa para a filha e os netos morarem. Ser de sendo escrevendo e tecendo era seu coração. E Eudora morrera em um domingo de natal e a enterraram no dia seguinte. E seus filhos acompanhavam-na sempre em todas as atividades dela. E o marido era muito apaixonado por ela, ele dava todos os sábados chocolate e flores para ela na cama. E de domingo café da manhã na cama. E iam fazer dança de salão todas as sextas-feiras à noite, das sete até às onze horas e era o casal mais divertido existente. Eudora era uma virginiana forte sempre contente. E dançava bem um bolero, um rock ou um tango. E todos os estilos estavam em seu coração. E adorava samba de gafieira. E gostava de se sentir apaixonada pelo marido. E ele apaixonado por ela.
Gumer Navarro
Enviado por Gumer Navarro em 09/08/2020
Código do texto: T7030691
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Gumer Navarro
São Paulo - São Paulo - Brasil, 37 anos
5316 textos (17292 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/09/20 23:54)
Gumer Navarro