Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

“CAPITÃO, MEU CAPITÃO, MAMÃE PÁTRIA ESTÁ CHAMANDO” (“Não Puxa A Corda”).

“CAPITÃO, MEU CAPITÃO, MAMÃE PÁTRIA ESTÁ CHAMANDO” (“Não Puxa A Corda”).

DE UM LADO PUXAVAM OS cavalos patriotas. Do outro lado esticavam a corda do Cabo de guerra, as montarias democratas. Um capitão dirigia o exercício em substituição ao sargento que seria a praxe do comando do dia.

EXISTEM “CABOS DE GUERRA” entre caminhões e barcos, entre caminhões, entre ciclistas, entre tratores, entre carros de diferentes modelos, entre motos que puxam para lados opostos. No quartel os cabos e soldados levam a sério esse jogo de forças entre dois diferentes grupos que lutam para mostrar quem é o mais forte.

DE MANHÃ CEDO, O CAPITÃO substituto do sargento era chegado a palavrões de fácil pronunciamento. Para ele, quem não fosse ufanista chegado a patriotadas igual ele, era comunista com certeza. Separados os dois grupos de cabos e soldados, uns esporeavam as montarias enquanto puxavam as rédeas de comando para um lado oposto ao outro. “Força, patriotas, berrava ele”.

OS CONTENDORES ENQUANTO seguravam a corda, puxando-a para os respectivos lados buscavam controlar os cavalos com as rédeas e esporeavam os animais para conseguir maior tração animal do seu lado. “Vamos patriotas, não facilitem a vida dos democratas, não deixem eles ganharem essa parada”. Os cavalos não se alinhavam direito para a esquerda nem para a direita reagindo mal aos comandos.

“ESSA COMPETIÇÃO NÃO VAI dar certo, capitão, meu capitão”, reclamou um soldado do lado competitivo dos democratas. — “Vai dar certo sim, sou eu quem mando”. Mas os cavalos de ambos os lados não cooperavam, dispersando-se para os lados, com os focinhos bufando, os relinchos dos Crioulos indicavam que nem cavaleiros nem cavalos estavam gostando da parada.

MAS O CAPITÃO VITUPERAVA: “vamos patriotas, eu selecionei as melhores montarias para o lado de vocês. Democratas não têm pedigree pra competir com quem ama a pátria”. — Um recruta afrodescendente de nome Madame Satã virou para um cavaleiro que havia resvalado com seu cavalo de lado e falou: — “esse maluco tá confundindo cavalo com cachorro. Quem tem pedigree é cão”.

“FICA QUIETO PATRÍCIO, ESSE capitão é dito e havido maluco esquentado”.

NESSE MOMENTO O CAPITÃO voltou a berrar enquanto dava um tapa de mão aberta no lombo do cavalo: “maldita raça de Crioulo, esse Crioulo parece que comeu estrume ao invés de alfafa. Puxa com força chocolate de coveiro, senão vou descer o chicote no teu lombo de besta”.

MADAME SATÃ NÃO SABIA que ele se referia ao cavalo no qual estava montado, cavalo da raça brasileira Crioulo. Ele apeou e logo desceu a mão pesada sobre a careta do capitão, dizendo: “racista filho de uma égua, quem come estrume é tua mãe, besta é quem confunde animal do porte de cavalo com cachorro. Vai tomar...”.

Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 15/06/2020
Reeditado em 30/06/2020
Código do texto: T6977729
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Decio Goodnews
São Paulo - São Paulo - Brasil
2337 textos (517554 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/05/21 02:10)

Site do Escritor