Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

True barbecue...?

Mano Beu é fã de um churrasco. E não é de hoje, coisa que já passa de seis décadas, desde os espetinhos espertinhos do Nelson Pereira na pracinha da fábrica e da estação em Brumado ao true barbecue tipo fogo de chão que viceja até nos Estados Zunidos da América.

Os vegetarianos e os chapeiros de hamburger que nos perdõem. Cada um à sua maneira está cumprindo o seu papel, na sustança da saúde, mas um churrasco, mesmo rimando com asco e Vasco, tem a sua vez, da torcida pó-de-arroz do Flu, à massificada e ah, bem suada, do Flamengo.

Houve tempos de vacas magras sim. E alguns hão de me corrigir dizendo que houveram...mas gramática a parte, a verdade é que naqueles anos de nossa infância e juventude, vivendo na gloriosa e laboriosa Pitangui, o acesso à carne bovina, em seus mais diversos cortes era uma representação da estatificação social, e um filé à mesa, somente para uns poucos luminares da sociedade do burgo era certeza.
Um coxão duro é que garantia nossa bifeza...e ainda havia o agravante das crenças religiosas que chegavam a monitorar o consumo com base no calendário eclesiástico, muito embora, sabíamos bem pelo catecismo, que o verbo se fizera carne.

Hoje, a carne abunda, desde as filas intermináveis dos supermercados e açougues, às estatísticas de nosso agro-negócio, que guindou os irmãos Batista ao obscenário mundial, tamanha a sua influência no setor, a ponto de Roberto Carlos, reizíssimo da voz e da vez, há mais de 5 décadas, ter-se tornado garoto-propaganda da Friboi, mesmo sendo, dizem, avesso ao consumo de carne...

E no entanto, e até no entretanto, a despeito de nossos enormes avanços na criação e na conquista de mercado da exportação, a carne argentina conserva ainda sua magia, e a preços competitivos. Vamos ver até quando, pois andam dizendo por aí que se aquele país virar outra Venezuela, há de haver, na nossa fraternal relação, má sequela...

E nada impede que mano Beu continue apreciando seu churrasco, a cujo preparo incorpora conhecimentos de física nuclear e apetrechos que tornam o churrasquear mais mecanizado. Isso sem fugir ao princípio essencial da coisa: o sal grosso como base única de tempero. Contudo, conto tudo e advirto com a mais miliciosa gravidade: aí daquele que o convidar ..."para queimar uma carninha..."
Paulo Miranda
Enviado por Paulo Miranda em 18/08/2019
Código do texto: T6723528
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Miranda
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
27193 textos (505978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/19 10:02)
Paulo Miranda