Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os santos de casa não fazem milagres

Todos os dias a poesia vibra nas coisas do mundo, mas não diante dos olhos de todo mundo. É preciso ter olhos sutis, quase divinais, para pousarem na confusão e verem ali a beleza que o engano produz; ter olhos compassivos para ver as veredas endireitadas onde se pode conduzir o outro, guiado por mãos quase santas; ter olhos que não vêem o mundo estando no mundo. Então vamos caminhando desalentados, vendo a pobreza, a loucura e a estrada deteriorada que parece nos deixar andando em círculos. Mas somos, vez por outra, arrebatados desse reduto de mortos-vivos, e guiados por corações de anjos que nos trazem em pílulas, fragmentos de um tempo que não vemos passar. Esses momentos acontecem quando paramos diante de um belo quadro, ouvimos uma bela canção ou sentimos a fragrância das flores, mesmo que estejam num pequeno jardim. Esses momentos são cada vez mais raros mas estão também  cerrados nas páginas de um livro de poemas ou na pausa da diária  meditação. Quando nos entregamos a eles queremos nos deixar ali quase que inertes. Mas eis que de repente o filho chega e traz num sorriso e na fala coloquial a quebra de um daqueles instantes  especiais ou então, o telefone nos chama. É a nossa mãe idosa contando do que ouviu na homilia dominical ou ainda, a campainha soa pelas mãos da vizinha que traz, no seu pratinho emprestado semana passada, a retribuição cheirando a banana com canela.
E o nosso primeiro instante é torcer o nariz por voltarmos abruptamente ao mundo normal, de gente normal que vivem coisas normais.
Então, como um sonho que esquecemos ao despertar, caímos na crueza do dia-a-dia sem ao menos perceber esses outros anjos que nos trazem comprometidos, os milagres da poesia de cada dia.
Cláudia Machado
Enviado por Cláudia Machado em 14/04/2019
Reeditado em 15/04/2019
Código do texto: T6623125
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Cláudia Machado
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
775 textos (24418 leituras)
60 áudios (3061 audições)
1 e-livros (23 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 02:11)
Cláudia Machado