Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mulheres, avante. (sem Damares)

Digo com orgulho: Nunca fui machista, pelo contrário, sempre fui favorável a que as mulheres tivessem a chance de mostrar aos homens machistas como se administra uma empresa, como se pensa uma coisa e, ao mesmo tempo age duas ou três outras coisas que não tem nada a ver umas com as outras. Na minha família, desde que comecei a entender as coisas a mulher é quem manda. Meu pai, por exemplo, era o provedor – ou pensava que era – mas era a minha mãe quem administrava o que ele achava que administrava. O dinheiro, a casa e, - não pasmem – o próprio. Já ouvi homens dizendo pra quem quisesse ouvir, e com voz de barítono. “Minha mulher faz o que quer, só não faz o que eu não quero” Ledo engano – prá ser gentil – do machão. Certa vez ouvi um homem sensato dizer que “é a mulher que escolhe o homem que a escolherá”. Isso sim é sabedoria. Mulheres, por gentileza, apoderem-se de vez do comando desse mundo, mostrem que são mais inteligentes, mais capazes, mais fortes, sem necessariamente terem que recorrer à musculação ou esteróides. Mostrem como é que se faz pra pagar a conta do mercado, da padaria, da manicure – sim, manicure, cabeleireira, massagista etc etc etc, pois precisam, podem e devem  continuar lindas, cheirosas e desejáveis. Nada de terninhos, gravatinhas e aquelas calças da moda, feitas pra arejarem bolas que vocês não tem mas, que algumas, teimam em fazer parecer que deveriam ter. Para a minha mulher prometo – quando e se arrumar uma – que a casa estará sempre cheirosinha, limpinha, as crianças com os deveres escolares feitos e corrigidos, a banheira com a água quentinha e com perfume de rosas e a toalha felpuda combinando com o chinelo de pantufas e a calcinha a esperá-la no banheiro impecável, sem cueca nem toalha molhada jogadas sobre o vaso sanitário, sem pelo de barba na pia, sem pingo de xixi no chão. Juro, juro, juro. E ao sair do banho o jantar ou o lanche estará na mesa. Chega desse negócio de ser o dono da verdade, a verdade sempre foi outra; são vocês mulheres que devem comandar essa joça. Só fica proibido acabar com minha pelada (futebol), minha caipira ( não a empregada, mas a birita) e a minha rede na varanda. E quero o lado direito da cama pra mim. E não pode ter enxaqueca na hora do vamos ver, nem se esquivar porque tem um relatório da empresa pra analisar. Estou abrindo mão da minha parte no mando do mundo, se é que a tive algum dia.
Vander Dunguel
Enviado por Vander Dunguel em 11/02/2019
Código do texto: T6572188
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vander Dunguel
Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil
543 textos (29211 leituras)
32 áudios (2563 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/04/19 05:25)
Vander Dunguel