Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CASA PATERNA

Ah, quantas lembranças a sua presença me trás...

Aquela porta de madeira trancada, as lembranças entrelaçadas pelos galhos que cresceram ali nesses longos anos...

Empurrar aquela porta maciça, pesada de saudades e sofrimentos, mas o relógio na sala ainda a marcar as horas alegres e tristes vívidas naquela casa.

A velha Primavera floriu de flores amarelas e vermelhas a impedir a geada invernal de penetrar nos aposentos falando das emoções desses momentos prestes a adentrar as lembranças, voltando a ser criança, ouvindo os passos da chuva que cai lá fora, e o resmungar do meu pai a começar agora...

- Que horas são no seu relógio, mocinha?!?

- São 21.10h papai!

- Não preciso lhe lembrar que no próximo fim de semana não têm passeios...

- Sim, papai!

Meu pai era irredutível quanto ao horário de chegar em casa nos sábados e domingos. Não podiam passar das 21.00h e o relógio dele estava sempre certo com as horas do relógio do Mosteiro de São Bento no centro de São Paulo.

Na sala iluminada as lembranças guardam formas, enxergo o meu pai no ritual de todas as noites, enquanto aguardávamos a mamãe chegar do trabalho, ele engraxando os nossos sapatos, ouvindo no seu rádio os seus programas favoritos;
Hora do Barbeiro (piadas e causos), Nhô Totico (causos) e a Hora do Brasil depois haviam as músicas de qualidade muito saudosas na voz de Francisco Alves, Orlando Silva e meu pai desafinado arriscava...

- "Terra da Boa Esperança, esperança que encerra no coração do Brasil um pedaço de terra..." (mais ou menos assim) não sei a música..rss

Naquele momento desafinado ele atropelava as notas musicais desafiando o Rei da Voz...rsss

Mas, isso, servia para desanuviar a sua alma era um momento de descontração que mudava consideravelmente o seu semblante...rss

Saudade é um sentimento profundo adormecido, mas que quando nos apresenta vai fundo cavoca nossas entranhas até as profundezas do mundo...


(Lendo as crônicas dos amigos Poetas Dartagnan Ferraz e Iratiense Thuto Teixeira a sensibilidade deles me tocou e me inspirou a escrever. Obrigada, amigos!)


 
SanCardoso
Enviado por SanCardoso em 29/04/2018
Reeditado em 29/04/2018
Código do texto: T6322373
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SanCardoso
São Paulo - São Paulo - Brasil
1892 textos (155839 leituras)
1 e-livros (313 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/19 13:06)
SanCardoso

Site do Escritor